Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



2016-03-30-IMG_2127_T-_IDP.jpg

A história do futebol português está toda ela envolta em polémicas, escândalos, suspeições, e muita falta de credibilidade e de transparência. Sempre, ou quase sempre foi assim.

 

O facto de ser sportinguista não faz com que eu afirme que o Sporting não tenha os seus pecados. Seria hipócrita afirma-lo, e desde logo essa hipocrisia arrastaria este artigo.

 

Todavia, de uma maneira-geral, tenho a certeza que na maior parte da história do futebol e do desporto, soubemos ser melhores que os outros.

Desde logo, o Sporting tem nas suas origens gente de um enorme pioneirismo. E esse legado foi passado de geração em geração.

 

Mas, vamos desde já onde quero chegar:

Hoje é já recorrente encontrar na blogosfera leonina aquele mito já quase enraizado de que os presidentes após Sousa Cintra foram uns "mansos", e que actualmente sim, defendem-se os interesses do Sporting e combate-se a falta de transparência do futebol português.

Ou seja, o tal período que é hoje odiado e difamado, levando a uma generalização que me parece injusta, denominada de "roquettismo" (de 1995 a 2013).

 

A Internet é hoje um meio em que muita mentira e contra-informação é passada a público, mas, felizmente, quem a souber utilizar de uma forma honesta, pode não fazer esquecer alguns factos interessantes, e que até nos orgulham enquanto sportinguistas.

É o caso de uma série de vídeos que estão no youtube, relativamente ao tal problema que está enraizado no futebol português.

 

Aqui, em 1995, mal Santana Lopes tomou posse, viu-se envolvido com uma aliança entre Benfica e FC Porto

 

Santana Lopes foi de certa forma traído pelo presidente do Benfica Manuel Damásio, isolando ainda mais o Sporting nas questões da Liga e da arbitragem. Se o Sporting já era o mais prejudicado dentro do futebol português, pior ficou nos anos seguintes.

Mas o presidente de então demonstrou desde logo que não se revia na falta de credibilidade dos seus rivais, tendo o Sporting uma posição virada para a modernização do futebol português.

 

 

Nos anos seguintes o Sporting seria prejudicado como já era recorrente, até que em 1998-1999 o Sporting tomou medidas

 

 Os lances em que o Sporting se queixou na temporada 1998-1999

 

 

Os declarações dos dirigentes do Sporting

 

 Comunicado do dirigente Simões de Almeida

 Comunicado do presidente José Roquette

 Entrevista ao então Vice-presidente António Dias da Cunha. Ele que enquanto presidente de 2000 a 2005, foi talvez o dirigente que mais lutou contra o "sistema". Desde a sua posição frontal, a alianças, à contratação de "inspectores" como Marinho Neves, de tudo um pouco fez. Inclusive, antes de "rebentar" o processo Apito Dourado, ele afirmou à RTP que Pinto da Costa e Valentim Loureiro eram os "rostos" do "sistema". Ele que enquanto dirigente esteve nos 2 últimos títulos de campeão pelo Sporting. 

 Discurso do presidente José Roquette, apelando à união do clube, num momento particularmente difícil do Sporting dentro do então contexto do futebol português. Um discurso que recomendo a todos os que julgam que há um Sporting "antes" e "depois" de Bruno de Carvalho.

 

Jogo do luto

 

 Sporting 5 Académica 0

 

As propostas do Sporting para modernizar o futebol português

 

Curiosamente, Bruno de Carvalho fez o mesmo mal chegou ao Sporting. Tenho é dúvidas se foi sincero. Pois quem é "verdadeiro", creio que não precisa de "perseguir" todo um passado do Sporting.

 

 

Conclusão

 

Aparentemente os intentos do Sporting foram conseguidos no curto-prazo. Isto, porque nas 3 épocas seguintes o Sporting viria a ganhar 2 campeonatos e uma Taça de Portugal após 18 anos de "jejum".

 

A médio\longo prazo não o foram, pois o Sporting, tal como concluo neste artigo, voltaria a ser prejudicado pelas arbitragens, e de uma forma directa, foi-nos impossibilitado de vencer no mínimo 2 campeonatos e uma Taça da Liga. Títulos que fariam com que o crescimento que o Sporting vinha tendo desde 2000 se prolongasse durante muito mais tempo, e quiça, impossibilitou-nos de sermos hoje um clube muito mais estável e consolidado, tal como pessoalmente conclui no artigo A azarada semana que alterou o destino do Sporting.

 

Serve este artigo para tentar demonstrar que é uma falácia e uma desonestidade-intelectual querer reescrever a história do Sporting, quando nunca deixamos de ter histórias bonitas para contar.

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

De comentador desportivo a 15.09.2016 às 09:41

👏

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D