Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



19757370_ZHVOG.jpg

O futebol é um jogo em que por vezes nem sempre o "melhor" é o vencedor final. Um jogo de futebol pode ser decidido por meros pormenores. Pormenores como um erro de arbitragem, uma lesão, uma bola no poste, etc.

E por vezes, há pormenores que consequentemente deixam marcas para o futuro de uma equipa e do próprio clube.

 

Este recente triunfo da Selecção Nacional no Euro 2016, fez-me reflectir sobre isso mesmo. Afinal, fomos campeões europeus em circunstâncias quase inéditas, e temos que ter a noção que para Portugal voltar a vencer outro Europeu, será necessário jogar o "dobro".

Da mesma forma que no Euro 2004 seriamos uns indiscutíveis vencedores da competição, mas em circunstâncias também inéditas, perdemos em casa contra uma fraca e inexperiente Grécia.

 

Só que uma Selecção Nacional é completamente diferente de um clube.

 

No caso do Sporting, acredito que talvez fossemos actualmente o melhor e mais moderno clube português, se tivéssemos ganho aquele Campeonato e aquela Taça UEFA em 2004-2005.

Nessa época o sonho acabou em pesadelo naquela azarada semana.

 

Digo "azarada", porque efectivamente, não tivemos sorte.

No jogo do título, perdemos nos últimos minutos com aquela famosa falta de Luisão sobre o guarda-redes Ricardo.

Na final da Taça UEFA, embora jogando em casa, e saindo para o intervalo a ganhar por 1-0 com uma grande exibição, a maior frescura física dos russos (iniciaram o campeonato russo em Março) prevaleceu na 2º parte. Numa 2º parte, em que por exemplo, um jogador do Sporting entregou a bola para o guarda-redes adversário quando a baliza estava completamente aberta, e em contra-ataque, o CSKA "matou" o jogo!

 

Mas vou finalmente ao cerne do artigo, e tentar explicar porque na minha opinião, talvez fossemos hoje um clube muito mais forte e consolidado.

 

Antes da década de 2000, o Sporting atravessou uma longa travessia no deserto. Não era campeão nacional desde 1982, e durante 18 anos, apenas venceu 1 Taça de Portugal e 2 Supertaças.

 

Em 1999-2000, o Sporting conquista finalmente o título nacional. E na época seguinte, o Sporting conquista a Supertaça.

 

Em 2001-2002, o Sporting voltaria a sagrar-se campeão nacional, juntando a esse titulo, a Taça de Portugal. E na época seguinte, ganhou a Supertaça.

 

Até à época de 2004-2005, o Sporting nada mais tinha ganho.

 

Vamos agora supôr que o Sporting tinha ganho esse Campeonato e essa Taça UEFA. Desde a época de 1999-2000 (em 6 épocas), o Sporting teria ganho:

- 3 Campeonatos Nacionais

- 1 Taça de Portugal

- 2 Supertaças

- 1 Taça UEFA

 

Pois, mas na verdade, o Sporting em 2004-2005 nada ganhou, e já havia 3 anos que o Sporting não era campeão nacional. A frustração foi enorme.

Na época seguinte, José Peseiro ainda iniciou a temporada, mas com um fraco inicio de campeonato, a contestação foi grande, e José Peseiro e Dias da Cunha não suportaram a pressão, e bateram com a porta!

Por aqui se percebe que a falta de sorte que o Sporting teve nessa "azarada" semana, condicionou toda a estabilidade e serenidade que um clube como o Sporting precisa.

 

Assim, Soares Franco assumiu a presidência do Sporting, e foi buscar Paulo Bento para treinador principal - quando este treinava os júniores.

 

Os 4 anos seguintes seriam de aposta na formação e de dar estabilidade ao treinador (algo inédito na história do clube). Não conseguimos o principal objectivo, que passava por ganhar o título, mas conseguimos sempre o 2º lugar e o consequente acesso à Champions, e conquistamos 2 Taças de Portugal e 2 Supertaças.

 

Mas ao nível do principal objectivo, tivemos novamente "azar". Em 2006-2007, perdemos o campeonato para o FC Porto por 1 ponto, quando tínhamos vantagem no confronto directo com os dragões, por termos ganho em pleno Dragão por 0-1. Mas devem estar lembrados da forma como perdemos com o Paços de Ferreira com um golo marcado com a mão...

 

Agora, vamos supor que o Sporting teria ganho os tais títulos perdidos com "azar" de 1999-2000 até 2006-2007 (8 épocas). O Sporting teria ganho:

- 4 Campeonatos

- 2 Taças de Portugal

- 2 Supertaças

- 1 Taça UEFA

 

Mas, na verdade, o Sporting até então já há 5 anos que não era Campeão Nacional, e só os 2º lugares e as 2 Taças de Portugal foram dando o beneficio da dúvida até ao inicio da época de 2009-2010.

Ainda perdemos a final da Taça da Liga em 2008-2009 devido aquela arbitragem de Lucilio Batista. Mas nem isso daria o beneficio da dúvida a Paulo Bento no inicio da época seguinte.

 

Chegados a 2009, o Sporting apesar de continuar a ter resultados interessantes, vivia a frustração de já estar a passar por um novo jejum de títulos de Campeão Nacional. Já haviam 7 anos que não éramos campeões!

 

Dessa forma, a paciência que é necessária ter para se enfrentarem ciclos de maus resultados já não existia, e Paulo Bento, não resistiu, e bateu com a porta! A partir dai, já com uma considerável oposição (por vezes radical), não foi fácil gerir os anos seguintes, dando o próprio Sporting muitos tiros nos próprios pés.

 

Com um estádio novo, e com a melhor academia do país, o que não seria o Sporting se tivesse ganho aqueles 2 Campeonatos e aquela Taça UEFA? 

Afinal, quando há resultados, surgem mais adeptos, mais sócios, mais receitas, mais publicidade, maior respeito, maior estabilidade directiva, maior estabilidade emocional, etc.

Em suma, teríamos tido um ciclo de maior crescimento e consolidação. Mas não, aos poucos fomos invertendo o caminho iniciado nos primeiros 5 anos do milénio.

 

As épocas de 2009-2010 e 2010-2011 foram muito más, terminando o Sporting a cerca de 30 pontos dos campeões de então.

O desânimo e a frustração da massa adepta era enorme, e convém mais uma vez realçar, que o Sporting continuava a não ser campeão - agora já há 9 anos.

 

Acredito que foi por isso que a direcção de Godinho Lopes se endividou para contratar muitos jogadores estrangeiros e reconstruir uma equipa que voltasse o mais rápido possível aos títulos. Mas quando se faz as coisas em cima do joelho, normalmente o desfecho não é bom.

Infelizmente, chegados aquela época que culminou no 7º lugar, abriram-se as portas para que tenhamos hoje um Bruno de Carvalho na presidência do Sporting Clube de Portugal.

 

Sinceramente, acredito que com uma maior sorte nesses títulos perdidos com "azar", as crises recentes poderiam nem ter existido, ou a existirem, teriam sido abordadas de outra forma. Acredito que fossemos hoje um clube muito mais respeitado e levado a sério, e completamente blindado contra pára-quedistas que não sabem aquilo que é o Sporting!

 

E volto a referir, que acredito que a história do Sporting poderia ter sido diferente, e não o estou a afirmar de uma forma convicta. Até porque o futebol não vive de "ses". 

Nem estou a afirmar que não houveram erros de gestão que podem e devem ser também debatidos.

 

Este artigo apenas convida o leitor a olhar para a história recente do Sporting de outra forma. Não o quero convencer de nada.

Estudar, analisar, reflectir, debater; é sempre a forma mais sensata e intelectualmente-honesta de se estar no Sporting. E a história do Sporting merece esse comportamento por parte dos seus sócios e simpatizantes.

Eu tento passar uma imagem positiva da história recente do clube. Ou será que existe de facto um clube "antes" e "depois" de Bruno de Carvalho? Não, não há, por muito que alguns aparentemente até o quisessem.

 

Pois só quem está em propaganda, ou é simplesmente ignorante por natureza, pode insistir na falácia de humilhar e colocar no mesmo saco anos e anos de história do Sporting, sem tentar fazer algo como eu fiz neste artigo - que passa por fazer a sua própria análise.

 

Mas, tudo isto é resultado dos tais pára-quedistas que de forma oportuna sempre surgem nos momentos adversos. A história julga-os sempre, mais cedo ou mais tarde!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

1200.jpg

Não só o equipamento mais bonito, como o melhor e mais completo lote de jogadores que a Selecção portuguesa já teve.

Os que jogaram de longe melhor futebol!

 

Há coisas irónicas...

 

 

400.jpg

 

1024.jpg

luis-figo.jpg

ng1972627.jpg

portugal2000-298x220.jpg

 

 

663072_w2.jpg

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

222223_galeria_a_chegada_da_selecao_a_paris_jpg.jp

O meu desejo pessoal concretizou-se - como já tinha revelado aqui no blog. França e Portugal disputaram a final do Euro 2016!

 

De um lado, a selecção de futebol de uma das maiores potencias económicas e financeiras a nível mundial, jogava a final em casa.

Do outro, a selecção dos pobres do sul da Europa. Aquele país em que desde há muitas décadas muitos foram para a França lutar por uma vida melhor.

 

Não foi uma vitória do brilhantismo ao nível do futebol praticado. Para mim, foi sobretudo uma vitória de um grande simbolismo. Imagino o que não sentirá um emigrante português residente em França e não só... Nós também conseguimos! Nós também somos capazes!

 

E o herói improvável foi Éder. Um jogador com notórias limitações, que se conseguiu superar, sendo fundamental para a conquista deste europeu. Á imagem de tantos que provavelmente são vistos como "menores" pelos franceses, mas não deixando de ter o seu valor, e a capacidade de se superarem.

Num jogo em que foi possível contrariar a lesão de Cristiano Ronaldo, com um colectivo que tudo fez para lhe dar a Taça para ele próprio erguer.

 

Esta Selecção não ficará na história pelo futebol praticado, mas ficará na história pelos episódios e pelas circunstancias. Ficará na história pela fé. Uma fé demonstrada pelo próprio Fernando Santos, que afirmou ainda na fase de grupos, que só voltaria a Portugal dia 11 de Julho sendo recebido em festa. E afinal, a vida de um emigrante também se faz de fé.

 

Poder-se-á dizer que tivemos sorte. Sim, também a tivemos. Mas será que não a merecíamos? 

 

E ainda há quem duvide de Deus!

Autoria e outros dados (tags, etc)

99421086-Portugal-SPORT-large_trans++qVzuuqpFlyLIw

Se me perguntarem se Portugal justificou neste Europeu estar presente na grande final, diria que tenho dúvidas. A Selecção não tem jogado nada de especial, e foi passando à "rasquinha" e sempre com adversários acessíveis ou perfeitamente ao seu alcance. Basta recordar cada jogo até ao dia de hoje.   

 

euro2000_romenia.jpg

Se me perguntarem se Portugal merece esta final, diria que sim, por tudo aquilo que foi feito desde 2000 até esta parte. Nunca falhamos uma fase-final de uma grande competição, e contamos com 2 finais, 2 meias-finais, e 1 quartos-de-final em europeus; e ainda uma meia-final de um Mundial.   

 

 

Nesses tempos defrontávamos sempre uma Inglaterra, uma França, uma Holanda, uma Alemanha, ou uma Espanha.

 

 

Depois o mais fácil não conseguimos: vencer um europeu em casa contra a Grécia.

 

1728783_w2.jpg

Portanto, esta 2º oportunidade é merecida. Não tanto pela performance neste Europeu, mas porque a história recente nos demonstra que a merecemos.

 

Se amanhã ganharmos, este é o argumento que devemos utilizar para refutar as más-línguas!

 

Força Portugal !!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

BODYSporting.jpg

Há pouco mais de 3 meses decidi criar um blog. E criei-o porque já escrevia no facebook, mas os posts ficavam esquecidos no tempo. Assim, todos os meus posts ficam arquivados, e é mais fácil para partilhar nos grupos de facebook. E percebia que a bem ou a mal, o que eu escrevia "mexia" com quem lia.

 

Até ao momento, dentro dos 65 artigos já publicados, estes foram os que tiveram maior impacto a nível de visualizações\comentários.

Porque Bruno de Carvalho nunca processou o CM?

Afinal era tudo treta

Afinal era tudo treta - parte II

Sem paciência para tanto pão e circo!

"A cereja em cima do bolo"

Azevedos de hoje e de outrora...

Jogo duplo

Bruno de Carvalho está nas mãos de Jorge Jesus

Jesus como... Bento. Ou nem isso...

Os jogadores e muitos dos adeptos não merecem isto

Jesus não resistirá no meio de uma estrutura amadora

As aparências iludem

Marco Silva teria feito pior?

De Roquette a Croquette

Outros tempos, outra gente...

Cada cavadela, cada minhoca

Rogério Alves e os 80 milhões: «Qualquer venda

 

Acima de tudo tenho sido verdadeiro. E permanecerei assim até ao fim, numa luta de pôr outros sportinguistas a pensar, e não se deixarem levar pelo adormecimento-mental que os actuais responsáveis do Sporting querem impor.

Quanto ao nome que escolhi para o blog, é uma forma subliminar de mostrar que num passado tão caluniado e humilhado somente para fins eleitorais, também vivemos momentos de fervor sportinguista.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Obrigado

06.07.16

torreeiffel.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bruno de Carvalho - nos trinques.jpg

Mesmo com uma pré-época que ainda mal começou, e estando o foco dos portugueses na Selecção Nacional, nem por isso deixamos de ser presenteados com as tristes figuras do Brunismo. Se isto é assim agora, nem quero imaginar o que não será no decorrer da época, em ano de eleições. Até tenho medo.

 

Há uns dias, Bruno de Carvalho demonstrou a sua habitual inconveniência, desta vez para com Fernando Santos, faltando apenas dizer se Portugal deveria jogar em 4-4-2 ou em 4-3-3. Escolheu à conveniência os jogadores formados no Sporting, quando lhe perguntaram quais os jogadores que deveriam alinhar. Um dirigente responsável e intelectualmente-honesto, diria que tem a sua opinião pessoal, mas que não a dirá, por uma questão de imparcialidade e de respeito por quem está lá para tomar decisões.

Como se não bastasse, o Sporting foi o único dos três "grandes" que na sua rede-social apenas destacou os seus jogadores, dando a sensação de promoverem um sectarismo no seio da Selecção Nacional. Como se em pleno Europeu, por exemplo, o João Mário fosse mais importante que o Renato Sanches.

Naturalmente que fomos criticados pelos nossos rivais e por muitos sportinguistas. E com razão. 

 

Já na Gala Honoris Sporting, tanto dirigentes e treinadores, puseram-se a cantar o "graças a Deus que não sou lampião". Sendo a festa dos 110 anos de história do clube, é no mínimo triste. Triste para os sportinguistas, e triste para a memória dos fundadores.

 

Ainda na mesma Gala, deu a entender que será presidente do Sporting para os próximos 25 anos - demonstrando mais uma vez a única coisa que o move no nosso clube - um emprego vitalício.

 

E a cereja no topo do bolo, foi ter reservado um espaço para o troféu de campeão nacional da próxima temporada. Depois de frases como: "têm que começar a dar mais luta", "eles tremem todos os dias", ou "olhem bem para nós aqui em cima no 1º lugar que de cá não sairemos; eis que mais uma vez nos sujeitamos a sair humilhados como o fomos na época passada. Se depois de perdido o campeonato, Bruno de Carvalho desactivou a sua conta oficial de facebook e ordenou a uns miudos para receberem a equipa em festa; o que não estaremos sujeitos se mais uma vez não formos campeões? Que façam montagens de um melão dentro da vitrina que está preparada para colocar lá o troféu do próximo campeão nacional?

 

Enfim, nada que não estejamos habituados desde há 3 anos atrás. E assim continuará até ao fim. A propaganda-eleitoral nunca terá fim enquanto tivermos Azevedo Carvalho como presidente. 

 

E a paciência começa a esgotar-se. De facto não é fácil gostar-se ou ter-se algum tipo de apreço por um presidente destes...

 

E em nome de gente que sei que está tão farta como eu, tenho o seguinte para dizer ao Senhor Carvalho - e vou ser muito claro:

 

ISTO É O SPORTING CLUBE DE PORTUGAL, NÃO É A POLIBUILD NEM AS SOLUÇÕES ATELIER !!!

 

SPORTING SEMPRE !!!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Queremos que o Sporting seja um grande clube, tão grande como os maiores da Europa."

Bandeira001.jpg

 

Um clube que nasceu para vencer. Mas vencer com mérito, com fair-play, e com justiça.

Mas não apenas isso. Um clube fundado com o propósito de ser uma verdadeira instituição de utilidade pública. Uma forma de promover a saúde e a cultura.

 

No principio, o desporto no Sporting teve um lado mais social. Pode-se concluir isso no artigo 3º e 4º dos primeiros estatutos do Sporting Clube de Portugal:

 

"Artigo 3º

Estabelecerá para os sócios e alunos cursos dos mencionados exercícios, dirigidos por individuos competentes, beneficiará consoante os seus recursos instituições de beneficência pública, empregará os seus esforços para organizar cursos práticos gratuitos destinados à frequência de individuos que por sua posição social não estejam nas condições de ser inscritos sócios cooperando por esta forma para a resolução do utilissimo problema do avigoramento da raça portuguesa e pelo auxílio que se propõem a prestar no limite dos seus meios ao bem das classes desprotegidas, o Sporting Club de Portugal é uma perfeita associação de utilidade pública.

 

 

Artigo 4º

Para demonstrar a utilidade dos exercícios a que se destina poderá o Sporting Club de Portugal organizar concursos e certamente sportivos estabelecendo prémios. Ser-Ihe-ha também facultado quando as circunstâncias financeiras do Club o exijam; ou quando a Direcção entenda necessário como meio de propaganda poder apresentar os seus exercícios em espectaculo público sendo pelo menos metade do produto liquido em favor de alguma instituição de beneficência quando a entrada não fôr gratuita ou esse espectáculo organizado por qualquer outra associação sportiva."

 

Fonte: WikiSporting

 

 

É tempo de cada um de nós fazer uma auto-avaliação, e tentar perceber se o caminho actual vai de encontro aos desígnios dos fundadores. Podemos começar, por exemplo, por reflectir sobre o sectarismo que as redes-sociais do Sporting e o próprio presidente, estão a tentar provocar no seio da Selecção Nacional. Ou a forma como dentro do próprio clube se processa e expurga associados com anos de dedicação ao clube. Enfim, há muito por onde reflectir, e este blog tem tido esse propósito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D