Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


treino-jorge-jesus.jpg

 Não é de agora que Jorge Jesus aparenta ter dificuldades nesse sector.

 

Vejamos os laterais-esquerdos que passaram pelo Benfica nos 6 anos de Jorge Jesus:

- Jorge Ribeiro
- César Peixoto
- Fábio Coentrão
- José Shaffer
- Lionel Carol
- Emerson
- Capdevilla
- Luís Martins
- Melgarejo
- Luisinho
- Bruno Cortez
- Siqueira
- Sílvio
- Eliseu
- Loris Benito

 

Destes 15 jogadores, somente Fábio Coentrão, Siqueira e Eliseu tiveram utilidade. De resto, pouco ou nada se aproveitou ao nível da qualidade técnica.

 

Tendo em conta que Jorge Jesus assume que a "estrutura" é pensada por si, é de concluir que a maioria de todos aqueles jogadores foram por si indicados a Luís Filipe Vieira e a Rui Costa.

 

É também curioso que nos 3 anos em que o Benfica foi campeão com Jorge Jesus, os encarnados contavam precisamente com Fábio Coentão, Siqueira e Eliseu como titulares.

 

Agora no Sporting, depois de práticamente encostar Jefferson, Zeegelaar também está aquém do exigido; e Bruno César foi adaptado a essa posição.

Por falar em adaptações, foi precisamente o que Jorge Jesus fez com Fábio Coentrão. Este era extremo, e Jorge Jesus fez dele um excelente lateral-esquerdo. Digamos que é praticamente o único sucesso de Jorge Jesus nessa posição.

 

Ficam estas curiosidades, que valem o que valem, digo eu...

Autoria e outros dados (tags, etc)

transferir.jpg

- Muita coisa está mal, quando a ganhar 3-0, nos deixamos empatar.

- Muita coisa está mal, quando nas últimas três jornadas sofremos 8 golos!!!!

- Muita coisa está mal quando nas últimas duas jornadas, com uma boa vantagem para gerir, permitimos um 4-0 para um 4-2, e um 0-3 para um 3-3.

- Muita coisa está mal, quando após a jornada europeia, empatamos sempre no campeonato.

 

Muita coisa está mal, quando é mais que óbvio, que alguém que ganha "oitcho" milhões por ano, não está a fazer muito melhor que treinadores jovens como Leonardo Jardim e Marco Silva.

 

Digo eu...

 

Enfim, a única coisa positiva que tiro deste último jogo, é que só mesmo o futebol para nos proporcionar emoções deste género! Parabéns ao Vitória de Guimarães!

 

Lembrei-me assim, de um dos melhores jogos que já vi na vida:

Só para desanuviar... 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Como já referi noutros artigos, eu era da opinião que em 2009 o ciclo de Paulo Bento tinha terminado, coincidindo com o termo do seu contracto - posteriormente renovado pelo recém-eleito presidente José Eduardo Bettencourt.

 

Hoje continuo a manter a mesma opinião. Aliás, todos constatamos isso passados 4 meses, quando este pediu a demissão, tal o clima insustentável que se vivia naquela altura!

 

Costumava dizer aos meus amigos que havia um treinador que tinha feito um excelente trabalho no Belenenses e no SC. Braga que estava à espera da sua oportunidade. Esse treinador era Jorge Jesus.

Também hoje mantenho essa opinião. Basta recordar o que foi a história do Benfica e do Sporting desde então...

 

Jorge Jesus foi assim para o Benfica, quando já estava na casa dos 50 anos.

Era a sua derradeira oportunidade. E logo na primeira época aproveitou-a ao máximo, com a conquista do título nacional.

 

Mas os ares lampionicos da Luz fizeram de Jorge Jesus um deslumbrado. Fizeram dele um homem cada vez mais vaidoso e "inchado".

 

Infelizmente, com o aval de um presidente igualmente deslumbrado e egocêntrico, Jorge Jesus está também a contribuir para a lampionização do Sporting.

 

Um treinador que aufere actualmente 8 milhões de euros\ano, e que ainda se dá ao luxo de desvalorizar o seu próprio grupo de trabalho.

Acredito que Octávio Machado pode ser um bom "bombeiro", mas o comportamento de Jorge Jesus tem tudo para arruinar o balneário, da mesma forma que já na época passada foi longe demais nas suas picardias com Rui Vitória - quando no final da época, nós, "BOLA"!

 

Voltando a Paulo Bento, apesar de achar que o ciclo dele tinha terminado no termo da época de 2008-2009, não faz com que eu considere que esse mesmo ciclo tenha sido negativo. Muito pelo contrário.

 

E ainda hoje, considero que falta fazer um reconhecimento a Paulo Bento. Não só pelos interessantes resultados, mas fundamentalmente pela forma humilde com que esteve no Sporting e defendeu acima de tudo o seu grupo de jogadores. Os jogadores eram a sua prioridade.

Com Paulo Bento, o "eu" nunca existiu.

 

Nessa vertente, se Jorge Jesus tivesse as características de um Paulo Bento, acredito que fosse um treinador muito melhor.

Pois não é só a táctica que conta. Há coisas tão ou mais importantes que um treino ou um esquema táctico!...

 

Passados todos estes anos chego à conclusão que esse mérito tem que lhe ser dado. Pessoalmente, faço aqui esse reconhecimento a Paulo Bento.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tem futuro?

19.09.16

img_770x433$2016_05_18_01_21_58_1103300.jpg

Mais do que criticar a postura de Jorge Jesus, penso que deveríamos enaltecer o trabalho do actual treinador do Rio Ave, Nuno Capucho. Não sei se um dia chegará a um "grande", mas para já, pessoalmente, tenho gostado do que tenho visto. 

 

À primeira vista é com grande agrado que vejo antigos internacionais continuarem ligados ao futebol como treinadores.

 

Depois, considero que é preferível apostar num jovem treinador com uma notória margem de progressão, do que contratar um treinador de milhões, não deixando esse treinador de milhões de ter também os seus notórios defeitos, e não sendo também uma garantia de títulos.

 

Vejamos aquele que foi talvez o único treinador da história do Sporting a quem foi oferecido um verdadeiro voto de confiança: Paulo Bento.

Com poucos meios, apresentou resultados interessantes naqueles 4 anos.

 

Estávamos em Outubro de 2005, e Soares Franco ao assumir a presidência do clube, foi buscar Paulo Bento aos juniores. E durante esses 4 anos, paulatinamente foram-lhe dando poderes a vários níveis. Sempre numa postura humilde, séria, e sempre em defesa única e exclusiva do seu grupo de trabalho, dando sempre o peito às balas pela equipa e até pelo clube em si (neste aspecto penso que deveria ter sido melhor protegido).

 

Por estas e por outras, é que tanto defendi Marco Silva desde o dia em que ele chegou ao Sporting. Marco Silva pelo que já tinha feito no Estoril, era o tal jovem com uma notória margem de progressão a que eu fiz referencia mais atrás, e com 4 anos de contrato, tinha tudo para que de forma paulatina lhe fossem aumentando poderes a cada ano que passasse, blindando de certa forma uma saída para o estrangeiro. Pois quem tem actualmente 8 milhões\ano para dar a Jorge Jesus, teria de sobra para ir satisfazendo Marco Silva nesse aspecto.

Marco Silva esse, que era acarinhando pelos próprios adeptos. Empatia essa que em muito resultava da forma de estar de Marco Silva no futebol.

 

Com Jorge Jesus, continuamos a ter um treinador com defeitos, não é por ai. A diferença é que não vejo um projecto de futuro, e se não formos campeões esta temporada, isto tem tudo para "rebentar".

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

jorge-jesus-e-zidane-comandam-seus-jogadores-em-re

Muito sinceramente, não estou nada surpreendido com a exibição do Sporting no Barnabéu.

Embora não esperasse estar à beira de vencer...

 

Mas o futebol é 11 contra 11, e no fim... ganha o Real Madrid!

 

O Sporting tem de facto um conjunto de grandes jogadores, e não pode ser surpreendente a exibição contra o Real no Barnabéu. 

 

Portanto, nada a apontar a Jorge Jesus. Muito pelo contrário!...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sem-Título-25.png

Fiquei estupefacto quando o jornalista da SIC, Rui Santos, afirmou que para Jorge Jesus permanecer em Alvalade, teve que renovar o contrato com um aumento de ordenado de 2 milhões! Feitas as contas, o seu ordenado já vai em mais 8 milhões de euros por época!

É inacreditável!

 

Ainda esperei por um eventual comunicado do Nuno Saraiva a desmentir o que foi dito por Rui Santos, mas este não escreveu uma única vírgula; assim como o próprio Bruno de Carvalho não se referiu ao tema na sua última entrevista, precisamente na SIC.

Portanto, significa que é verdade: afinal, Jorge Jesus não foi aumentado de 5 milhões para 6 milhões. Foi aumentado de 6 milhões para 8 milhões!

 

Se pagar 6 milhões já é uma loucura, acrescentar mais 2 milhões após uma época em que fomos ridicularizados pelo próprio Jorge Jesus, é o cúmulo da estupidez!

 

Sim, ridicularizados! Ridicularizados na Liga Europa, na Taça da Liga, e ridicularizados pelas declarações do próprio Jorge Jesus em relação ao treinador do Benfica, ao ter dito que não o considerava treinador.

Declarações que só deram força ao Benfica para atingir o seu tricampeonato, enquanto que nós... nós "BOLA"!

 

Mas, os fervorosos apoiantes da tão apregoada cultura de exigência do "novo" Sporting até gostam, e foram assim festejar o 2º lugar para Alvalade!

Enfim, contradições naturais de quem tem uma "agenda própria".

 

Após esse sinistro sucedido, Jorge Jesus renovou contracto, e afirmou que com base no que viu nessa noite em Alvalade, sentiu que seria connosco que teria que caminhar.

 

Passados cerca de 3 meses, só através do jornalista da SIC soubemos que afinal, as razões que levaram Jorge Jesus a não bater com porta e a renovar contracto, foi um generoso aumento de ordenado!

 

Se dúvidas houvessem, Bruno de Carvalho está refém de Jorge Jesus para se manter na sua cadeira (emprego) de sonho, e o Sporting Clube de Portugal aparenta estar cada vez mais refém de um treinador, e pela ignorância de muitos, até do próprio presidente o Sporting está refém!

 

A forma como tentaram ocultar o vencimento de Jorge Jesus é só mais uma evidência de como os sportinguistas têm sido tratados como "carneiros"!

 

Como eu escrevi num post anterior, foi a imaturidade de Bruno de Carvalho que nos levou até aqui. Agora... agora é rezar para que no fim de todo este circo, ao menos tenhamos ganho pelo menos 1 campeonato. Porque aquilo que irá sobrar... é um completo vazio.

 

Um "vazio" que está a ser construido com muitas mentiras, muitas falácias, muito oportunismo; que estão a dar azo a uma falta de valores e de identidade que poderão pôr em "cheque" o futuro do Sporting Clube de Portugal.

Veja-se o que se está a preparar com o "tribunal popular" para julgar os antigos presidentes. Em tempo de eleições, isto calha que nem ginjas! O nosso clube pode cair no ridículo perante o país, mas o que interessa isso? Afinal, o Sporting é nosso! Ou não...

 

Enfim, tudo normal e natural num Sporting dirigido por gente menor para menores!

 

Num clube com uma forte-identidade, os comportamentos de Bruno de Carvalho e Jorge Jesus seriam admitidos pelos seus sócios e simpatizantes? Será que no FC Porto todo este circo que não deu em qualquer título seria admissível? Ah, claro!... estávamos em 7º lugar e tal...

E enquanto assim formos, dúvido que algum dia sejamos um clube vencedor com muita regularidade, sem nunca pôr em causa a identidade e o que representa um clube como o Sporting Clube de Portugal.

 

O meu padrão não é uma época em que terminamos em 7º lugar. Pois apesar de ser relativamente jovem, o meu padrão é aquele Sporting de 2000 até 2009. Aquele Sporting campeão, de vencedor de Taças e de Supertaças, de idas à Champions, e até de finais europeias. E isto, sem o circo e a lampionização que o clube tem sido sujeito desde há uns anos a esta parte!...

 

 

PS: Retroactivos?!?!?!

Autoria e outros dados (tags, etc)

jorgejesustreinoplano.artigo.jpg

Esta era a forma mais simples de Jorge Jesus e o Benfica resolverem as coisas entre si, se ambos assumissem que foram fundamentais um para o outro naquela fase da história do clube e da carreira de Jorge Jesus naquele ano de 2009.

 

Em 2009 o Benfica apenas tinha ganho aquele campeonato "da treta" em 2004-2005 depois de 1993-1994, e desde então os encarnados coleccionaram 3 terceiros lugares, e 1 quarto lugar no campeonato. Todas as épocas mudavam de treinador e, inclusive, em 2007-2008 três treinadores passaram pelo banco do SLB.

 

Jorge Jesus foi fundamental para de uma vez por todas pôr ordem na casa, criando bases para um Benfica que estaria sempre na luta pelo título.

 

Os benfiquistas dirão que Jorge Jesus deixou escapar dois campeonatos por incompetência do então técnico do Benfica, mas será que treinadores como Koeman, Fernando Santos, Camacho ou Quique Flores teriam feito melhor que Jorge Jesus naqueles 6 anos?

 

Por outro lado, em 2009, Jorge Jesus ja estava na casa dos 50, e o Benfica deu-lhe a oportunidade de mostrar o que realmente valia, depois de boas temporadas no Belenenses e no SC.Braga.

 

Foram essas boas passagens por clubes médios do nosso campeonato, que pessoalmente, como sportinguista, me fizeram desejar Jorge Jesus no lugar de Paulo Bento na temporada de 2009-2010.

Recordo, que Paulo Bento no final da época de 2008-2009 terminava contracto, mas o então recém-eleito presidente José Eduardo Bettencourt, optou pela renovação de contracto de Paulo Bento. O célebre Paulo Bento forever!

Infelizmente, o resto da história é sabida...

 

Pessoalmente, queria Jorge Jesus no Sporting em 2009, mas sabendo o que sei hoje, não o queria em Alvalade de momento. Acho que o momento dele passou em 2009, e por uma questão de bom-senso, Marco Silva justificava a permanencia. 

 

A forma como decorreu o processo Marco Silva que levou ao seu despedimento, e a forma como Jorge Jesus e o Benfica não se esquecem, não prestigia o Sporting Clube de Portugal, e pode inclusive, tal como na época passada, colocar questões do foro quase pessoal, acima dos verdadeiros interesses do nosso clube - com os resultados conhecidos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

image.jpg

 

O programa-eleitoral de Bruno de Carvalho de 2013 contém várias promessas que não se chegaram a cumprir [especificarei tudo num outro artigo].

 

Um dos pontos dizia o seguinte - acerca do papel do treinador:

 

«Quanto à sua equipa de futebol profissional, o Clube tem que inverter completamente a lógica organizativa e a visão que tem da estrutura que dirige o futebol. É o clube que tem que criar uma estrutura que governe o futebol, FUTEBOL E ACADEMIA bem alicerçada, competente, com práticas estabelecidas. Quem chega – treinador, equipa técnica, jogadores ou outros elementos ligados ao futebol – é que deve integrar-se nessa estrutura, nesses métodos e filosofia de trabalho. Para que isso aconteça é necessário que essa estrutura seja absolutamente irrepreensível, responsável, solidária, leal e coloque sempre em primeiro lugar os superiores interesses do Clube.

O treinador deverá ser sempre escolhido tendo em atenção a sua adaptação à filosofia do clube, nomeadamente tendo apetência pelo aproveitamento da excelente capacidade que o Sporting Clube de Portugal apresenta na formação de novos jogadores (infelizmente, raramente aproveitados como deveriam ser), com um perfil formador, boa capacidade de comunicação e experiência.

O treinador será mais uma peça de uma máquina que tem que funcionar em pleno, uma peça importante evidentemente, mas nunca um ser genial e providencial a quem se pede que resolva todos os problemas da equipa e, por vezes, até do próprio Clube

 

 

Passados mais de 3 anos, temos connosco Jorge Jesus, que na mais recente entrevista ao Record afirmou:

 

"Quando cheguei ao Sporting, ao fim de um mês quis ir-me embora. Pensei: 'o que é isto?' Mas o presidente deu-me força e disse-me que as coisas iriam resolver-se"

Aqui diz o que pensa sobre os 2 anos de mandato de Bruno de Carvalho. Ou então foi simplesmente uma posição de força dentro do clube. Se ele diz que havia coisas que se iriam resolver quando só lá estava há 1 mês, é porque "estrutura" era algo que o Sporting não tinha.

 

"Mudei o Sporting todo por dentro, em termos de estrutura (...)"

A confirmação de que a estrutura do Sporting não era "nada".

 

" (...) e aí o presidente tem sido um elo de ligação fantástico porque não se nega a nada (...)

Ora aqui parece-me que afinal o presidente é que é se integrou na estrutura, ao contrário do treinador.

 

" (...) Ele também tem muita ambição"

Aqui em condições normais era escusado dizer isto, porque se há alguém dentro de uma estrutura que tem que ter ambição é o presidente.

Embora ambição tenhamos todos, desde o presidente, treinador, passando por nós sócios e adeptos. Sempre assim foi.

 

 

Como eu já tinha escrito num artigo de Maio passado, Bruno de Carvalho está nas mãos de Jorge Jesus.

 

E está nas mãos de Jorge Jesus porque o seu projecto para o futebol fracassou completamente. De facto, Bruno de Carvalho quis ser o centro de tudo e todos.

Contratou bons treinadores, é verdade. Treinadores esses que foram responsáveis pela retoma do futebol do Sporting.

Mas não soube coabitar com eles.

 

- Bruno de Carvalho desbaratou nas duas primeiras épocas muitos milhões em jovens estrangeiros de qualidade duvidosa\nula, sem dar cavaco a ninguém!

- Sentou-se no banco de suplentes para marcar uma posição dentro do plantel.

- Encostou jogadores sempre que se incompatibilizava com algum deles.

- Criticava de forma pública o desempenho da equipa.

- Inclusive, criticou de forma pública as opções do treinador, pelo facto deste não pôr a jogar os tais jovens estrangeiros de qualidade duvidosa (mais tarde também desprezados por Jorge Jesus).

- "Obrigou" até o treinador a meter jogadores da equipa B na Taça da Liga.

 

Este tipo de práticas dentro do próprio clube geraram desgaste, e houve um claro choque entre presidente e treinador [Marco Silva]. 

Bruno de Carvalho quis despedi-lo em Dezembro quando o Sporting ainda estava em todas as competições. Como sabia que tinha sido ele a criar o mau ambiente entre os dois, e não tinha a razão do seu lado, pediu ao José Eduardo para fazer o trabalho sujo. Mas os adeptos não acreditaram.

 

Os adeptos gostavam do treinador Marco Silva, e para o despedir somente por razões de ordem pessoal entre os dois, só o treinador bicampeão pelo Benfica o poderia salvar de não cair naquele momento da sua "cadeira de sonho" (ou emprego de sonho?)! Daí até pagar 5 milhões\ano ao treinador era inevitável do ponto de vista do presidente.

 

Felizmente para Bruno de Carvalho, Luís Filipe Vieira não pretendeu continuar com Jorge Jesus, tendo em vista um novo paradigma no projecto do futebol encarnado. As circunstancia do pai de Jorge Jesus estar doente, e do próprio Jesus e do seu pai ter uma ligação sentimental ao Sporting, também pesaram.

 

Dou até muito mais mérito a Bruno de Carvalho pelas contratações de Leonardo Jardim e Marco Silva, do que propriamente Jorge Jesus. Digamos que todas as circunstancias ditaram a ida de Jorge Jesus para Alvalade.

 

Tendo em conta tudo o que levou à ida de Jorge Jesus para Alvalade, o projecto de Bruno de Carvalho fracassou, e este passou a ficar refém do próprio treinador.

 

Imaginem que na época passada Jorge Jesus tinha batido com a porta após uma época sem títulos. Em que posição ficaria Bruno de Carvalho? Pois...

 

E quando um presidente está tão dependente da manutenção\sucesso do treinador, é a prova provada que há mais do que legitimidade para que nas próximas eleições se discuta o futuro do clube.

 

É que não é só a questão do futebol. Muito há para discutir sobre o futuro do clube e o que ele será em várias vertentes no médio\longo prazo. Por exemplo, ao nível da comunicação, a nível financeiro, da relação com os sócios, o que tem sido feito na formação, as promessas que não foram cumpridas, etc etc [ficará para outro artigo].

 

Quem sabe, se o próprio Jorge Jesus não precisará de um outro perfil de presidente dentro da sua própria estrutura, caso este pretenda cumprir os restantes 3 anos de contracto. E este, poderá ter um papel fundamental nas próximas eleições.

 

Todavia, um treinador ter o clube na mão, e o presidente estar refém do cargo (emprego) e do próprio treinador, nada tem de positivo. Pode dar azo a que os interesses e as ambições pessoais de ambos no imediato, choquem com os interesses do clube no médio\longo prazo.

 

 

PS:  Nos meus arquivos lembrei-me de que tinha por aqui "perdido" o jornal i da semana em que Jorge Jesus veio para Alvalade e houve toda aquela polémica pela forma como Marco Silva foi despedido. O entrevistado curiosamente foi um antigo presidente do Sporting, o Drº José Roquette.

Acerca desse tema de então, as suas declarações foram curiosas - e hoje tudo começa a fazer sentido:

 

" Há formas e formas de se tratar o treinador e o que está a acontecer com Marco Silva vai tornar o futuro do clube mais difícil, até a substituição futura de Jorge Jesus, uma vez que este processo não foi tratado como devia e não garantiu lisura alguma."

 

Palavras sensatas. Claro que se ganharmos todos dirão que foi uma aposta ganha, e ai não haverá nada a dizer.

Mas, e se não ganharmos?

 

E vou até mais longe: até o processo eleitoral será mais uma vez uma farsa, porque Bruno de Carvalho apresentará como trunfo um treinador que de facto tem sido relevante, mas que faz de si uma peça-decorativa, somente para assinar papeis.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Daniel Carriço:

02.06.16

"Com Leonardo Jardim e Marco Silva, o Sporting já tinha melhorado bastante"

safe_imagefe.jpg

Palavras sensatas do antigo capitão. 

 

Não pondo em causa a qualidade de Jorge Jesus, será que ele teria feito melhor que Leonardo Jardim em 2013-2014 ou melhor que Marco Silva em 2014-2015?

Na minha modesta opinião, não teria feito muito melhor, porque nem havia condições para isso.

Justiça lhes seja feita!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

ng4308404.jpgBem, naturalmente que é impossível saber se efectivamente Marco Silva teria feito pior trabalho que Jorge Jesus nesta temporada. São épocas e circunstâncias diferentes.

Mas comparando precisamente as diferentes circunstâncias que cada um dos treinadores encontrou, cada um de nós poderá tirar as suas próprias conclusões.

 

Após a tal época do 7º lugar, Leonardo Jardim pegou numa equipa com reforços muito medianos, e junto-os a vários jovens da formação. Era o ano "zero", em que nem sequer nos assumíamos como candidatos ao título.

Num campeonato com 30 Jornadas, sem competições europeias, saindo fora das Taças muito precocemente, e no ano de Paulo Fonseca no FC Porto; Leonardo Jardim soube gerir a equipa para um 2º lugar e consequente acesso à Liga dos Campeões.

Leonardo Jardim fez um bom trabalho, mas na época seguinte os desafios seriam bem mais exigentes, e este preferiu dar continuidade à sua carreira no Mónaco. E a história recente demonstra-nos que do ponto de vista da sua própria carreira, tomou a decisão acertada.

Adiante:

 

Na época seguinte, agora com Marco Silva, o Sporting seria candidato ao título, e teria que complementar isso com a Liga dos Campeões.

A jovem equipa ainda estava num processo de evolução, tanto a nível individual, como a nível colectivo.

Não tinha experiencia de competições europeias, já que na época anterior o Sporting nem para a Liga Europa se qualificou. Aliás, o próprio Sporting já não ia à Liga dos Campeões desde a época de 2008-2009.

 

A Liga dos Campeões seria também um entrave a nível físico, pois a jovem equipa não estava habituada a jogar 2 vezes por semana.

Comparativamente à época anterior, o Sporting fez com Marco Silva 52 jogos, enquanto que a equipa de Leonardo Jardim disputou 35 jogos.

 

E em 16 milhões de euros gastos em reforços, que jogadores foram dados a Marco Silva para atacar uma época mais exigente e desgastante? Fora o Nani que veio por empréstimo, os reforços foram muitos. Por exemplo: Rabia, Jonathan Silva, Rossel, Slavchev, Tanaka, Sacko, Sarr, Ewerton, ou Gauld.  

 

Sem nunca perder o tino pelos entraves que lhe foram impostos no decorrer da própria época, Marco Silva conseguiu:

- No campeonato ficou no 3º lugar, atrás de um FC Porto de milhões e de um Benfica ao colinho. Conseguiu um registo interessante de 76 pontos.

- Na Taça de Portugal fomos os vencedores, em que pelo meio eliminamos o FC Porto em pleno Dragão por 1-3. Vencemos finalmente um troféu 7 anos depois.

- Na Taça da Liga Marco Silva foi obrigado a meter jogadores da equipa B, pelo que é injusto responsabiliza-lo pela eliminação na fase de grupos.

- Na Liga dos Campeões, num grupo com Chelsea e Schalke04, não passamos a fase de grupos devido... aquela bola que bateu na cara de Jonathan Silva.

 

Marco Silva só não mereceu continuar a cumprir os restantes 3 anos de contrato, porque infelizmente, não vestiu o fato...

 

Com um Jorge Jesus logo ali ao lado a ser despachado para o Qatar pelo próprio Benfica, Bruno de Carvalho não perdeu tempo, e fez o que tinha a fazer para salvar, para já, o seu mandato (e o consequente tacho).

                                                                

Saiu Nani e Cédric, e os restantes jogadores do núcleo duro mantiveram-se. Muitos dos jovens que iniciaram com Leonardo Jardim eram jogadores bem mais maduros. Para complementar com essa juventude, contrataram-se jogadores internacionais, caros, e de elevado custo salarial, como: Coates, João Pereira, Aquilani, Bruno César, Teo, ou Bryan Ruiz.

 

No tempo de Marco Silva:

- Se não houvesse Paulo Oliveira, havia Sarr ou Mauricio

- Se não houvesse Cédric, havia Esgaio

- Se não houvesse Jefferson, havia Jonathan Silva

- Se não houvesse William, havia Rossel

- Se não houvesse Nani, havia Capel

- Se não houvesse Adrien, havia André Martins

 

Actualmente temos no banco jogadores como Paulo Oliveira, João Pereira, Jefferson, Aquilani, Naldo, ou Ewerton.

 

E o que conseguiu Jorge Jesus?

- No campeonato ficamos em 2º lugar, embora tenhamos feito um dos melhores campeonatos de sempre com 86 pontos.

- Na Taça de Portugal eliminamos o Benfica e não tivemos sorte em Braga.

- Na Taça da Liga pôde gerir livremente a equipa, e fomos eliminados na fase de grupos contra um Portimonense da II Liga.

- Na Liga Europa também pôde gerir a equipa a seu belo prazer fazendo uma rotatividade que nos ia custando a eliminação na fase de grupos com equipas como Lokomotiv, Besiktas, e Skenderbeu. Contra o Leverkusen fez exactamente o mesmo e fomos eliminados nos 16 avos de final. Ainda na fase de grupos, contra o Skenderbeu da Albânia, perdemos por 3-0, dando assim a primeira vitória de uma equipa albanesa nas competições europeias.

 

Portanto, com as condições que foram dadas a Jorge Jesus, o facto do Sporting ter ultrapassado a barreira dos 80 pontos não é nada de extraordinário, tendo em conta que na época anterior a equipa de Marco Silva tinha feito 76 pontos.

 

Será que se Marco Silva tivesse dado continuidade às suas rotinas de jogo, não teríamos feito uma época semelhante ou até melhor?

Pois, não é possível saber isso...

 

E não estou a afirmar que Jorge Jesus não fez um bom trabalho. É sabido que os seus métodos são diferentes dos métodos de Leonardo Jardim e Marco Silva - a começar pelo esquema táctico que passou do 4-3-3 para o 4-4-2. Ele cortou com muita coisa do passado, e era sabido que assim iria ser.

 

Se ele continuar na próxima época, a equipa poderá ser tão ou mais forte que a equipa desta temporada, pois já não será um ano "zero" de Jorge Jesus.

 

Escrevo este artigo para demonstrar que Marco Silva, na minha opinião, fez um trabalho interessante, dentro das circunstâncias e dos "ovos" que teve à sua disposição.

Isso não faz de mim um anti-Jorge Jesus. Embora tenha dúvidas se valeu apena trocar Marco Silva por Jorge Jesus, até ao momento, estou relativamente satisfeito com o trabalho de Jorge Jesus, e creio que para o ano a equipa será ainda mais forte.

 

Agora, não podemos é ser injustos, e não dar mérito a quem merece. Principalmente quando Marco Silva foi tratado de uma maneira vil pelo actual presidente.

Vivemos uma fase da nossa história em que uns são rebaixados para outros serem endeusados. Eu como sportinguista, se há coisa que eu não tolero, é que se reescreva a história.

 

 

PS: Deixo aqui uma curiosidade que encontrei no facebook. Quando a equipa de Marco Silva já estava mais rotinada e habituada a jogar com centrais ao nível de Paulo Oliveira, Sarr e Tobias Figueiredo, o Sporting somou 40 pontos na 2º volta; enquanto que a equipa de Jorge Jesus, com o dobro do orçamento, somou 42 pontos.

 

PS 2: Enquanto Marco Silva foi treinador do Sporting, foi um profissional que respeitou o Sporting e os seus colegas de profissão. Ao contrário do actual presidente, que se for preciso expõe a nossa história ao ridículo. E ao contrário do actual treinador, que nos expôs ao ridículo disto, e acabou por perder o campeonato para uma equipa que "não tem treinador", sem vencer um único título, e fazendo uma figura ridícula na Europa.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D