Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Como já referi noutros artigos, eu era da opinião que em 2009 o ciclo de Paulo Bento tinha terminado, coincidindo com o termo do seu contracto - posteriormente renovado pelo recém-eleito presidente José Eduardo Bettencourt.

 

Hoje continuo a manter a mesma opinião. Aliás, todos constatamos isso passados 4 meses, quando este pediu a demissão, tal o clima insustentável que se vivia naquela altura!

 

Costumava dizer aos meus amigos que havia um treinador que tinha feito um excelente trabalho no Belenenses e no SC. Braga que estava à espera da sua oportunidade. Esse treinador era Jorge Jesus.

Também hoje mantenho essa opinião. Basta recordar o que foi a história do Benfica e do Sporting desde então...

 

Jorge Jesus foi assim para o Benfica, quando já estava na casa dos 50 anos.

Era a sua derradeira oportunidade. E logo na primeira época aproveitou-a ao máximo, com a conquista do título nacional.

 

Mas os ares lampionicos da Luz fizeram de Jorge Jesus um deslumbrado. Fizeram dele um homem cada vez mais vaidoso e "inchado".

 

Infelizmente, com o aval de um presidente igualmente deslumbrado e egocêntrico, Jorge Jesus está também a contribuir para a lampionização do Sporting.

 

Um treinador que aufere actualmente 8 milhões de euros\ano, e que ainda se dá ao luxo de desvalorizar o seu próprio grupo de trabalho.

Acredito que Octávio Machado pode ser um bom "bombeiro", mas o comportamento de Jorge Jesus tem tudo para arruinar o balneário, da mesma forma que já na época passada foi longe demais nas suas picardias com Rui Vitória - quando no final da época, nós, "BOLA"!

 

Voltando a Paulo Bento, apesar de achar que o ciclo dele tinha terminado no termo da época de 2008-2009, não faz com que eu considere que esse mesmo ciclo tenha sido negativo. Muito pelo contrário.

 

E ainda hoje, considero que falta fazer um reconhecimento a Paulo Bento. Não só pelos interessantes resultados, mas fundamentalmente pela forma humilde com que esteve no Sporting e defendeu acima de tudo o seu grupo de jogadores. Os jogadores eram a sua prioridade.

Com Paulo Bento, o "eu" nunca existiu.

 

Nessa vertente, se Jorge Jesus tivesse as características de um Paulo Bento, acredito que fosse um treinador muito melhor.

Pois não é só a táctica que conta. Há coisas tão ou mais importantes que um treino ou um esquema táctico!...

 

Passados todos estes anos chego à conclusão que esse mérito tem que lhe ser dado. Pessoalmente, faço aqui esse reconhecimento a Paulo Bento.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D