Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Para o bem ou para o mal, sinto que o próximo dia 4 de Março será um dia decisivo na história do Sporting.

 

Ou se continua a destruir diariamente os valores históricos do Sporting Clube de Portugal e a hipotecar ainda mais sustentabilidade do clube com uma gestão à base da calote, ou se dá a oportunidade a alguém que não sei se na prática será um bom presidente, mas que acredito que será sério no desempenhar das suas funções.

 

O que mais desejo é que vença o Sporting, e a vitória do Sporting passa por correr com o "outro".

 

Alguém que sabe lá o que é sentir o Sporting no coração, que ofende, processa e maltrata quem não se revê na sua infantil liderança, confundido-se ele próprio com o Sporting Clube de Portugal! 

Stromp.jpg

Nem os fundadores escaparam quando este afirmou que "o Sporting já não é tão grande como os maiores da Europa", mas que é hoje graças a ele, tão grande como os maiores do mundo!

 

Mas uma coisa percebi ao longo dos últimos meses: é difícil desistir do que acreditamos.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Declarações curiosas de Sílvio Cervan

 

 

Destaco o seguinte:

 

"(...) eu hoje com alguma frieza, diria também, e provavelmente isto não abona a favor de todos nós benfiquistas, mas é uma realidade vista com esta distância temporal, que Manuel Vilarinho não teria ganho, se os resultados-desportivos que antecederam as eleições não fossem tão maus." 

 

 

Pessoalmente, e este blog testemunha isso mesmo, mais que os resultados-desportivos, critiquei tudo o que são mentiras, calúnias, calotes, contratos rasgados, má-criação, etc.

 

É essa a exigência que todos os adeptos de futebol deveriam ter independentemente dos resultados-desportivos. 

 

Estes maus resultados são apenas consequência de que era óbvio de que o Sporting estava e ainda está a ir pelo caminho errado.

 

Quando tudo isto acabar, pelo menos ficaremos com esta lição de história que não nos permitirá cair numa esparrela semelhante - pelo menos tão cedo.

 

 

NotaAzevedos de hoje e de outrora...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

961510.jpg

Enquanto que os outros estão esta semana a jogar na Liga dos Campeões e na Liga Europa, nós ficamos a jogar na Playstation - parafraseando Jorge Jesus.

 

Jorge Jesus esse, que graças ao palhaço (não é assim, Vítor Espadinha?), está livre para desvalorizar as competições-europeias.

 

Na época passada ele lá fez o frete de ganhar ao Besiktas e passarmos assim a fase-de-grupos, não deixando de dar a bicada aos "profetas da desgraça", isto, porque se sentiu "apertado", e bem, para não inventar contra o Besiktas.

Porque ele tanto inventou durante a fase-de-grupos, que demo-nos ao luxo de contribuir para a primeira vitória de uma equipa albanesa nas competições europeias, ao perdermos por 3-0 contra o Skenderbeu.

Já nos 16 avos-de-final contra o Bayer Leverkusen, ficou-se claramente com a sensação que a eliminatória a ser levada a sério, os alemães estavam mais que ao nosso alcance!

 

E no termo da época, o que ganhamos? "Bola"! Sim, bem sei que ele venceu o prémio Rui Santos e que os soldadinhos foram tentar tapar o sol com a peneira relativamente ao Azevedo quando foram "festejar" os 86 pontos conquistados no campeonato, quando o Ferrari do Rui Vitória conseguiu ainda mais 2. Aparentemente ficou tudo feliz.

 

De tão felizes que "ficamos", nada melhor do que aumentar o ordenado do "Jota Jota" de 6 milhões para 8 milhões. Afinal, o homem apresentou "obra".

Ora, o Zidane, aquele que é treinador do maior clube do mundo e actual campeão europeu, ainda só vai nos 5 milhões de ordenado.

Enfim, coisas à palhaço!

 

Na época seguinte, face à contratação de jogadores como Elias, Markovic, Bas Dost, etc etc, esperava-se algo mais para esta época.

 

Mas esta época consegue ser pior que a anterior, tanto na Europa como nas restantes competições, restando-nos somente lutar pelo 3º lugar com o Sporting de Braga!!!

 

Eles até tremem!

 

Enfim, o tal projecto que assentava numa cultura-de-exigência, dá-nos hoje para um palhaço se dar ao ridículo de dar voltas olímpicas depois de um jogo contra o Praiense ou depois de uma vitória obtida nos descontos no Restelo!

 

Afinal, o palhaço sente a necessidade de dar nas vistas, visto que fora deste Circo, mais ninguém lhe dará trabalho, e portanto, não o deixem cair!

 

Mas, vá lá, talvez no Circo Cardinali ou numa qualquer Casa dos Segredos lhe peguem, visto que Vespas e romances são com ele!

 

Olhando para essa imagem, fico com a sensação que se num passado recente conseguimos chegar a uma final com a motivação de a jogarmos em casa, porque não deveríamos ter hoje a motivação para simplesmente chegar a uma final e exorcizar aquele fantasma de 2005?!

 

Aliás, qual é actuamente o nosso lugar no ranking da UEFA, e de que forma temos contribuído para que o futebol português vá ganhando mais uns pontos?

 

Alguém acredita que na próxima época o registo será diferente? Jorge Jesus ao fim de duas épocas vai levar para casa, no mínimo, cerca de 14 milhões de euros, e o Sporting, o que ganhou?! Aquele joguinho de pré-época a que chamam de Supertaça? É isso que nos dão em troca?!

A Supertaça que só foi possível graças ao treinador que foi despedido por justa causa porque durante a época tinha uma agenda contra o palhaço, ao recusar-se a ser conivente com palhaçadas?!

 

Infelizmente foi a um Circo que nos reduziram, ou que permitimos que nos reduzissem...

 

Pedro Madeira Rodrigues terá que ser muito fraco para não abrir os olhos a muitos dos sócios que ainda acreditam que a palhaçada é o caminho certo!

 

Sócios que só pelo simples facto de uns quantos terem sido processados por denunciar na internet os malabarismos do Circo actual, já os deveria pôr a reflectir... 

 

E por falar em malabarismos, para quando a auditoria que o sócio Pedro Paiva dos Santos quer pagar? Há malabarismos a esconder?!

 

Um dia, vamo-nos todos perguntar como chegamos a isto!...

 

Enfim, bora mas é desfrutar do jogo do Manchester United que passará hoje na SIC...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A equipa B do Sporting foi lançada em 2012-2013 (sim, na tal época do 7º lugar), e independentemente da má-gestão desportiva da equipa sénior, ao nível da formação a equipa B foi uma excelente aposta que deu os seus frutos precisamente neste consulado de Azevedo de Carvalho.

 

Vejamos os jogadores dessa equipa B que viriam a integrar a equipa sénior ou a dar muito lucro financeiro:

 

- Cédric Soares

- Tiago lLori

- Tobias Figueiredo

- André Martins

- João Mário

- Eric Dier

- Ricardo Esgaio

- Daniel Podence

- Carlos Mané

- Iuri Medeiros

- Bruma

 

Claro que os treinadores de Azevedo de Carvalho também foram importantes, mas já havia um trabalho de base para dar continuidade, e só neste lote de jogadores se contabiliza 69 milhões de euros em vendas (que muito jeito deram para apresentar lucros e apregoar uma gestão de excelência), para além da utilidade que tiveram para o relativo sucesso desportivo dos primeiros 2 anos de mandato!

 

Os responsáveis máximos dessa equipa B foram homens do futebol como Oceano, José Dominguez e Manuel Fernandes (que viria a ser humilhado por Bruno de Carvalho na SportingTV)

 

Já no consolado de Azevedo de Carvalho, este escolheu Virgílio Lopes para ser o responsável máximo pela Academia, sendo que, olhando para o seu currículo desde 1990, fica à vista de qualquer um a forma como esta direcção "levou a sério" o projecto da formação. A não ser que o projecto seja outro, mas não seria nada que a auditoria que Pedro Paiva dos Santos quis pagar não esclarecesse. Mas adiante...

 

Essa equipa B logo no primeiro ano ficou em 4º lugar jogando um futebol muito interessante.

Já a actual equipa B ocupa actualmente um lugar de despromoção e, naturalmente, corre-se o sério risco do projecto que começou em 2012 morrer de vez! Preocupante e dramático.

 

E mais dramático do que isto, é que após 4 anos de muita parra e pouca uva, um inédito 7º lugar, para muita gente, ainda aparenta servir para dar o beneficio da dúvida a Azevedo de Carvalho.

 

É que até muitos dos notáveis, que podiam pelo menos ficar calados, colam-se à candidatura do "Rumo Certo".

 

Bem sei que nos tempos de hoje a "forma" não interessa, mas pelo menos abram os olhos com os resultados-desportivos!

 

A não ser que o padrão seja precisamente uma época em que terminamos em 7º lugar, sendo que teve que vir o especialista a falir empresas de chão-flutuante e de carpintaria para nos salvar do Apocalipse!

 

Enfim, descendo ao nível e parafraseando o próprio Azevedo de Carvalho, só me aperece dizer: 

"mas que Belfodil que é isto tudo!"

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Obrigado Beto. Obrigado Barbosa. 

Dois capitães que merecem respeito.

 

Impossível ficar indiferente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

brunocarvalho52425758.jpg

 

Há 3 anos atrás o futebol do nosso Sporting estava completamente desorganizado, sem qualquer rumo. Dava dó só de olhar para a classificação do campeoanto. Estavamos tristes e frustrados.

 

Na altura da campanha eleitoral, fiquei surpreendido por verificar um apoio tão grande a Bruno de Carvalho. Afinal, quem era o Bruno de Carvalho? Mas confiei na "visão" dos meus consócios sportinguistas, e quando Bruno de Carvalho foi eleito presidente, passei durante muito tempo a apoiar o presidente do Sporting, e não o Bruno de Carvalho. Achava que os adeptos e os sócios do Sporting se deveriam unir em torno do presidente eleito, para mais facilmente ultrapassarmos a crise.

 

Apoiei muitas das suas ideias, como a luta contra os fundos, a credibilização do futebol português, etc etc. Cheguei a pensar que alguém jovem e fora do "sistema", pudesse acrescentar algo de novo ao Sporting e ao futebol português.

 

Até nem era muito de comentar nas redes sociais em fóruns do Sporting. Apenas fazia umas vagas leituras sobre as opiniões dos adeptos. Tinha mais o hábito de comentar em fóruns de futebol, e debater com adeptos do Benfica e do Porto.

 

Então, mais ou menos no inicio da época de 2014-2015, decidi criar esta conta, somente para falar de futebol e principalmente do Sporting. Ao principio nem era o Pedro Neves. Tinha um pseudónimo de Leão Monarca, e só mais tarde passei a ser o Pedro Neves, porque o facebook assim me obrigou. Continuei a defender os pontos de vista do presidente do Sporting. Podem perguntar, por exemplo, ao Ricardo Agostinho, se não é verdade que cheguei a divergir com ele.

 

No entanto, já havia ali algumas coisas que via que não eram perfeitas. Mas não foi por ai que me tornei anti-Bruno de Carvalho. Afinal, a perfeição é impossivel de exigir. Ele sentava-se no banco de suplentes e batia com a mão no peito numa qualquer vitória contra um Arouca desta vida, mas punha-se à margem da equipa quando perdiamos ao "fugir" imediatamente para o banco de suplentes (Sporting 0 - Académica 0 de 2013-2014), ou quando escreveu aquele comunicado a pôr em causa o profissionalismo e a dignidade dos jogadores (Guimarães 3 - Sporting 0). Ou a forma como ele tratou o Manuel Fernandes. Ou a forma como daquela boca saiam termos como "nádegas com trampa". Ou a forma como as auditorias mais começavam a parecer uma caça-às-bruxas, e não tanto uma forma de transparencia. Nas redes sociais vinha-me a aperceber que havia pessoas que defendiam a todo o custo a pessoa do Bruno de Carvalho, e não aquilo que poderia melhor servir o Sporting - roçava mesmo o doentio.

 

Lá no subconsciente não achava que tudo estava bem, mas o que me fez acordar definitivamente do sono, foi o processo Marco Silva e os processos judiciais contra sócios do Sporting. Estes dois episódios demonstraram uma profunda demagogia, mentira, difamação, e um enorme ego. Só não acordou para a vida quem não quis.

 

Um treinador que tinha 4 anos de contrato e que ainda estava na Taça de Portugal, Taça da Liga e Liga Europa (o campeonato estava mais dificil), viu o dono da empresa de catering contratualmente ligado ao clube tentar destruir a sua imagem pública, tudo isto por desentendimentos pessoais com Bruno de Carvalho. Os interesses e o ego do Bruno de Carvalho passaram por cima dos interesses de todo o clube, e tentaram comer os adeptos do Sporting como burros que facilmente iriam cair num plano tão mal traçado e digno de dois putos brincalhões. Obviamente que os adeptos não se deixaram enganar e seguraram o treinador.

 

Passados dias, o Marco Silva foi obrigado a meter jogadores da equipa B e as tais contratações "cirurgicas" contra o Guimarães na Taça da Liga, e que serviram para tentar anestesiar a mente dos adeptos, quando dias antes do episódio José Eduardo, o Bruno de Carvalho enumerou os nomes dos Rabias, dos Slavchevs, dos Sarrs, etc, como sendo os reforços que o Marco Silva teria ao seu dispôr em Janeiro.

 

O Sporting ganhou, e jogou bem. Enquanto o Marco Silva estava com um ar triste pelas tentativas de destruir a sua imagem pelo próprio presidente, Bruno de Carvalho e Augusto Inácio davam uma triste figura no banco de suplentes, fosse com enormes gargalhadas, fosse no final do jogo, com o Bruno de Carvalho a festejar de forma eufórica, como se de uma Champions se tratasse.

 

Mas nós adeptos obrigamos o Bruno de Carvalho a meter a viola no saco, e o Marco Silva teve mesmo que continuar. Até ao final da época o José Eduardo não desistia na sua crónica habitual no jornal A Bola, e continuava a destilar veneno contra o treinador em funções do Sporting.

 

Passadas semanas, soube-se que vários sócios do Sporting foram processados por terem opiniões no facebook. Para mim foi a gota de água. Foi uma ataque a todos nós sportinguistas, e à nossa liberdade de expressão. Foi ai que todas as minhas dúvidas que já vinha a acumular antes do episódio Marco Silva se dissiparam. Estavamos perante alguém sem carácter, cobarde, mentiroso, difamador, e com um ego que se sobrepunha aos interesses do clube.

 

Nunca mais tive confiança nele. E foi ai que me comecei a lembrar das muitas mentiras e demagogias que ele vinha dizendo aos sportinguistas. Uma gestão virada para o populismo e que visa sobretudo a sua reeeição. Afinal, ele próprio apelou numa Assembleia-Geral para que não o deixassem cair. Surreal.

 

Ao longo dos tempos senti legitimidade para usar esta conta para tentar alertar os sportinguistas para o perigo que é ter um Bruno de Carvalho. Afinal, contas fake já existiam, mas eram para prestar vassalagem ao Bruno de Carvalho.

 

Muito do que eu penso da sua gestão está escrito neste post do Dia do Clube: http://diadoclube.blogs.sapo.pt/largos-dias-tem-3-anos-50961 Não vale apena especificar tudo ao pormenor, pois ao longos dos tempos tenho vindo a alertar para tudo isso, e este post já vai longo.

 

Ao longo dos tempos fui-me apercebendo que o sportinguismo está doente. Um sportinguismo que se vira contra a sua própria história. Adeptos que se apelidam de croquetes e brunistas uns contra os outros. Que as auditorias pariram um rato e que só tiveram como propósito fazer do Bruno de Carvalho a "única" pessoa que pode servir o Sporting, pois os restantes são todos "croquetes". Enfim, uma série de parvoices e de falta de amor próprio inacreditáveis. Um seguidismo doentio a um mitómano que não era ninguém antes de "assaltar" o poder.

 

Se o Sporting não vencer o campeonato, e por arrasto nenhuma competição, estes 3 anos de mandato serão manifestamente maus. O "eles até tremem ", ou o "os adversários têm que começar a dar mais luta", o despedimento miserável do Marco Silva com base num dossie ridiculo de 400 páginas, os posts de facebook, as guerras internas e externas, etc etc, não podem passar em claro se nada vencermos. Haja coragem e assumam-se responsabilidades.

 

Mas sabemos que coragem é coisa que não existe em Bruno de Carvalho. Afinal, ele recorreu ao José Eduardo para tentar destruir a imagem pública do Marco Silva, e nem se dignou a estar presente na reunião de despedimento e olhar "olhos nos olhos" em Marco Silva.

 

Até vencermos ou perdermos o campeonato, na dúvida, continuaremos a assistir a guerras internas, a guerras externas, a posts de facebook, a tudo e mais alguma coisa, que faça com que se desviem as atenções para o cancro do clube. Um cancro que finalmente conseguiu emprego através do Sporting, aproveitando-se da então tristeza e desespero pelo estado do futebol do Sporting, mas que teve que seguir a reestruturação-financeira do Godinho, porque afinal, os investidores prometidos nunca existiram. Dai as guerras internas e externas para que não se olhe para o obvio. Que estamos perante um malandreco sem vergonha que não olha a meios para atingir os fins.

 

Alguém que não conhece o Sporting, a sua história, e que a desrespeita e despreza. Uma pessoa que tem o desplante de afirmar que antes dele chegar ao Sporting, ninguém conhecia o clube internacionalmente. Que ridiculariza a história do Sporting dos últimos 50 anos. Que coloca anos e anos de dirigismo do Sporting no mesmo saco. Que divide os sportinguistas entre bons e maus (croquetes, sportinguenses...), Que processa sócios. Que se esconde que nem um rato nas derrotas e deixa os jogadores e treinador sozinhos. Que expulsa um antigo presidente sem lhe ter feito uma única pergunta durante a auditoria, sem que o mesmo pudesse ter contraditório. Que pretende reescrever a história do clube e substituir-se aos simbolos do clube. Etc.

 

Isto não é o Sporting. Não é o Sporting que eu aprendi a respeitar e a admirar. É um Sporting rasca.

 

Infelizmente, tenho vindo a perder o entusiasmo por este campeonato. Desculpem a frontalidade, mas este campeonato não está a ter significado nenhum para mim. Acabe isto como acabar, vai-me ser indiferente. Na eventualidade do Sporting ser campeão, só de imaginar a arrogancia do "eu", do "eu sou o Salvador", "eu sou o Sporting", de me lembrar da triste figura a que ele nos prestou na última final da Taça de Portugal onde foi o centro das atenções; fazem com que eu aos poucos esmoreça.

 

Cada vez mais se percebe a sua frase proferida há 3 anos atrás: "o Sporting é nosso". Hoje faz todo o sentido.
É tempo de dizer BASTA!

 

Nota: Texto publicado no meu facebook no dia 23 de Março de 2016, e que julgo que é importante para complementar com todo este trabalho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Estive a ver os minutos finais deste vídeo (vejam até ao apito final), e apesar da derrota, senti uma certa nostalgia.

 

Não pela derrota em si, claro, mas pela forma injusta como perdemos o jogo, já depois de ao longo deste campeonato tudo terem feito para darem o título ao Benfica.

 

Essa injustiça foi espelhada nos rostos e nas reacções dos jogadores, tentando eles, depois, nos últimos minutos, remarem contra a maré. A indignação espelhada nos rostos do Sá Pinto, do Beto, do Polga, do Ricardo ou do Barbosa.

 

Tempos em que podíamos perder, mas independentemente dos resultados, estávamos sempre de cabeça erguida.
E acho que a história do Sporting se faz muito disso, e este vídeo espelha bem isso.

 

Dos três "grandes" fomos o único clube que não teve qualquer indicio relativamente a apitos dourados e de outras cores.
Sempre fomos pioneiros na modernização do futebol português, mas estando sempre à margem do "sistema".

 

Nem sempre fomos perfeitos (a perfeição não existe), mas de uma maneira-geral o clube dava-se ao respeito e era um orgulho fazer parte dele, tanto nas vitórias como nas derrotas.
Sim, eu vivi momentos de alegria, como também não esqueço as derrotas e não me ponho à margem delas (algo que o actual presidente não faz).

 

Enfim, era um orgulho poder defende-lo com toda a garra possível quando se debatia com os nossos amigos de outros clubes.
O Sporting é uma forma de estar, e as vitórias é que vêem por acréscimo. Só assim elas podem ter valor.
Sinto que nestes últimos 4 anos (ou desde 2011) essa mística se te perdido e tenho muita pena.

 

Pena que a ambição pessoal de um falhado em "assaltar" o Sporting lhe tenha dado o direito de achar que pode passar por cima de tudo e todos.

 

Passar por cima da história, de velhas glórias (Manuel Fernandes), de antigos dirigentes, de sócios (os tais processos), de achar que tem que ter mais protagonismo que os jogadores, da má criação, das guerras contra tudo e contra todos, da falta de palavra (os contratos rasgados), etc etc etc.

 

E, na verdade, o que ganhamos nós últimos 4 anos? Creio que o Sporting de tostões do Paulo Bento terá melhor palmarés que este Sporting de milhões do Jorge Jesus. Já pararam para pensar nisso?

 

Hoje, se um Sportinguista quiser servir o clube e debater a sua gestão, é humilhado de todas as formas! É triste.

 

Qualquer instituição de vez em quando se arrisca a ter um Azevedo (até os americanos agora estão a aturar com um). O que me choca nem é tanto isso. O que me choca é a passividade e a falta de orgulho e de exigência que muitos de nós temos demonstrado num período completamente surreal da nossa história!

 

Um dia, vocês vão todos acordar para a vida. Espero é que não seja tarde.

 

Ai, provavelmente, nada sobrará.

 

Uma coisa é quase certa: este mandato (ou o próximo) deixará uma marca para a eternidade, e não propriamente pelos melhores motivos.

 

Não sei se sou eu que sou demasiado ferrenho e levo isto demasiado a sério, mas como já disse, acho que é hora de acordar para a vida e exigir coisas mínimas para o dia a dia do nosso clube!

 

Nota: Entretanto o vídeo desapareceu do youtube, mas este da final da Taça da Liga até é capaz de ser ainda mais exemplificativo da mensagem que pretendi passar:

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Apesar de ter sido a tarde mais triste da história do futebol português, gostei dos cumprimentos entre capitães, presidentes, jogadores e presidente da República antes do inicio da partida.

 

Numa tarde que se tornou sombria, fica o lado positivo de uma prática que não deveria ter deixado de existir nas finais da Taça de Portugal, pois são iniciativas destas que engrandecem o futebol ajudando a um ambiente de maior fair-play. Não foi seguramente por aquilo que aquela tarde acabou de forma triste... 

Autoria e outros dados (tags, etc)

parabéns sporting.png

Dos maiores da Europa ao nível dos títulos, ou fundamentalmente na identidade e daquilo que ele pretendia que o clube representasse?

Há mais de 100 anos, num contexto completamente diferente, será que o jovem José Roquette e todos os outros fundadores, apenas queriam "ganhar por ganhar"?

 

No dia em que ele celebrava o seu aniversário, e tendo em conta a realidade actual, deixo aqui este desafio\reflexão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

transferir.jpg

No meu canal de youtube, tenho o vídeo da celebração do titulo nacional de 1999-2000, após o termo do encontro contra o Salgueiros.

 

Mal Jorge Coroado deu o último apito, os jogadores seguraram um grande placar que dizia o seguinte: "Em Jesus Cristo somos mais que vencedores". 

 

Entretanto, quase por acaso, acabei por perceber o real significado dessa mensagem, e que está em Romanos 8:31 a 39.

 

Por muito que gostemos de futebol e dos nossos clubes, as vitórias que celebramos são do menos importante nas nossas vidas...

 

Diz muito da humildade e do espírito de grupo que imperava naquele balneário. 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D