Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Stromp.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Jogo duplo

28.05.16

2013-02-21-candidatos-sporting.jpg

Carlos Severino afirmou na CM TV, que "surgirá um candidato fortíssimo para concorrer contra Bruno de Carvalho", nas próximas eleições em Março do próximo ano.

Afirmou também, que Bruno de Carvalho, a determinado momento, "julgou que ele era o Sporting, e o Sporting era ele". E realmente, essa frase confere com tudo aquilo que muitos sportinguistas sentem em relação ao modo de estar deste "novo" sportinguismo.

 

Mas estas declarações, vindas de Carlos Severino, pessoalmente, deixa-me com a "pulga atrás da orelha".

 

Quando Carlos Severino concorreu à presidência do Sporting, este revelou-se um forte aliado de Bruno de Carvalho contra José Couceiro. Bruno de Carvalho era o principal opositor a José Couceiro, e Carlos Severino foi fundamental na eleição de Bruno de Carvalho. Isto, porque a estratégia eleitoral era semelhante. A estratégia passava por generalizar o dirigismo do Sporting do período de 1995 a 2013, e conotar José Couceiro a esse passado. Um passado em que supostamente tudo foi mau, todos foram maus, e tudo isso contribuiu para a então tristeza e desilusão dos sócios em relação à então época de 2012-2013, que culminou com um inédito 7º lugar na classificação.

Dadas as circuntancias do momento, muitos cairam na esparrela, e Bruno de Carvalho foi de facto eleito presidente do Sporting - conseguindo assim o seu emprego há muito desejado.

 

Tanto assim foi, que a estratégia continuaria, e Carlos Severino iria buscar o "retorno" dessa estratégia, ao ter escrito um livro exactamente sobre o passado do Sporting de 1995 a 2013, intitulado de "acesso ilimitado".

 

Recordemos algumas "cenas" do debate eleitoral entre Severino, Carvalho e Couceiro, e vamos ver um Bruno de Carvalho e um Carlos Severino a jogarem um "jogo duplo" contra José Couceiro.

Desde acusações de falta de currículo, de ter uma agenda própria, de ser incompetente, etc etc.

 

Agora, de forma surpreendente, Carlos Severino lá vai deixando no ar algumas dúvidas acerca de Bruno de Carvalho.

Não sei se o fez de uma forma completamente sincera, mas de uma forma directa ou indirecta, Carlos Severino está a fazer aquilo que - acredito eu - Bruno de Carvalho pretende.

 

Face ao seu fraco currículo para ser presidente de um clube como o Sporting, a sua estratégia passou pelo "dividir para reinar". E assim será até ao fim.

 

Bruno de Carvalho, independentemente dos resultados do futebol, tem o receio que surja esse tal "candidato fortíssimo" que lhe possa olhar "olhos nos olhos" num debate, e desmascarar todas as suas mentiras e contradições ao longo destes últimos anos.

É preciso desde muito cedo, que esse "candidato fortíssimo" seja conotado também ele, ao tal período denominado por "croquetismo".

 

A partir de agora, esse "misterioso" candidato - que Carlos Severino não quis revelar quem é - será acusado de "desestabilizador", e se for preciso, insinuam que foi esse candidato que esteve por trás do outdoors e dos flyers, etc etc.

 

O comportamento de Bruno de Carvalho é demasiado previsível, e a sua sede de poder e de protagonismo pessoal não tem limites. 

Foi dito pelo próprio em Assembleia-Geral, que fora do Sporting não tem emprego, e apelou a que não o deixassem cair, pois tem família para sustentar! Surreal.

 

Bruno de Carvalho não se importa que o clube possa estar completamente dividido e fraturado, desde que 51% dos votos sejam a seu favor, e que consequentemente, esses 51% mantenham o seu emprego.

 

Portanto, no decorrer da próxima temporada, como sempre, tudo vai valer. E temo que tenhamos mais uns tristes espectáculos que só ridicularizarão o Sporting...

Autoria e outros dados (tags, etc)

cantinho.jpg

Hoje em dia com a internet, qualquer pessoa pode exprimir sentimentos ou opiniões perante centenas ou milhares de pessoas.

 

Pessoalmente, já há muito tempo que escrevo no facebook sobre o meu clube do coração, e sobre tudo o que me inquieta neste "novo" Sporting.

 

Também já tive os meus excessos - não o posso negar. Mas nem sempre é fácil interagir com pessoas que são notoriamente mal-formadas ou intelectualmente-desonestas.

 

E mesmo com um perfil de facebook que protege a minha privacidade (nem poderia ser de outra forma, infelizmente) , lá no intimo, nem sempre é fácil afirmar o que na minha perspectiva melhor pode servir os interesses do meu clube.

Por vezes cansa.

 

Nem sempre é fácil levar com aquilo que Bruno de Carvalho de pior trouxe ao nosso querido clube.

 

Muitas vezes já pensei em desistir. Já parei por uns tempos, mas acabei sempre por voltar. Sou demasiado fiel para desistir tão cedo.

 

Quando decidi criar um blog, foi com a intenção dos posts ficarem guardados e não ficarem perdidos no tempo, pois acho que as minhas opiniões são bastante válidas - assim como qualquer pessoa julga que as suas próprias opiniões são sempre as melhores.

É um direito que me assiste.

 

Mas daqui para a frente, todo aquele que me insultar sem refutar uma única "vírgula" do que eu escrevo, será imediatamente bloqueado. Assim, já não terão que me aturar no facebook, nem eu terei que os aturar.

 

Pessoas desta "qualidade" não aprendem. São umas cabecinhas de vento que facilmente se deixam manipular por qualquer Azevedo desta vida! Nem vale apena.

Prefiro chegar somente às pessoas que independentemente da sua opinião ou posição, tenham a capacidade de ouvir e debater.

 

Mas aos arruaceiros, não deixem de vir ao meu blog. Somente não terão possibilidade de "sujar" a caixa de comentários nas minhas publicações no facebook.

 

O tempo, esse, é o grande mestre. E o tempo, vai tratar de meter cada personagem no seu devido lugar no meio de uma extraordinária história de 110 anos!

E é nessa perspectiva que não me matam facilmente!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Reflexão do dia

24.05.16

13239218_10209951206924721_9207910726001622552_n.j

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

imgS620I175317T20160523141105.jpg

Onde é que eu já tinha ouvido isto?

Vindo do capitão do Sporting, pode ser um sinal que os jogadores estão "cansados" de que um qualquer aventureiro lhes tire o protagonismo que eles tanto merecem.

 

E ainda disse isto: «Não interessa quem joga melhor ou pior, interessa quem ganha».

 

Isto sim, é de líder. É de quem tem maturidade para ser um verdadeiro capitão.

 

E um líder para se afirmar, não precisa falar muito...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

ng4308404.jpgBem, naturalmente que é impossível saber se efectivamente Marco Silva teria feito pior trabalho que Jorge Jesus nesta temporada. São épocas e circunstâncias diferentes.

Mas comparando precisamente as diferentes circunstâncias que cada um dos treinadores encontrou, cada um de nós poderá tirar as suas próprias conclusões.

 

Após a tal época do 7º lugar, Leonardo Jardim pegou numa equipa com reforços muito medianos, e junto-os a vários jovens da formação. Era o ano "zero", em que nem sequer nos assumíamos como candidatos ao título.

Num campeonato com 30 Jornadas, sem competições europeias, saindo fora das Taças muito precocemente, e no ano de Paulo Fonseca no FC Porto; Leonardo Jardim soube gerir a equipa para um 2º lugar e consequente acesso à Liga dos Campeões.

Leonardo Jardim fez um bom trabalho, mas na época seguinte os desafios seriam bem mais exigentes, e este preferiu dar continuidade à sua carreira no Mónaco. E a história recente demonstra-nos que do ponto de vista da sua própria carreira, tomou a decisão acertada.

Adiante:

 

Na época seguinte, agora com Marco Silva, o Sporting seria candidato ao título, e teria que complementar isso com a Liga dos Campeões.

A jovem equipa ainda estava num processo de evolução, tanto a nível individual, como a nível colectivo.

Não tinha experiencia de competições europeias, já que na época anterior o Sporting nem para a Liga Europa se qualificou. Aliás, o próprio Sporting já não ia à Liga dos Campeões desde a época de 2008-2009.

 

A Liga dos Campeões seria também um entrave a nível físico, pois a jovem equipa não estava habituada a jogar 2 vezes por semana.

Comparativamente à época anterior, o Sporting fez com Marco Silva 52 jogos, enquanto que a equipa de Leonardo Jardim disputou 35 jogos.

 

E em 16 milhões de euros gastos em reforços, que jogadores foram dados a Marco Silva para atacar uma época mais exigente e desgastante? Fora o Nani que veio por empréstimo, os reforços foram muitos. Por exemplo: Rabia, Jonathan Silva, Rossel, Slavchev, Tanaka, Sacko, Sarr, Ewerton, ou Gauld.  

 

Sem nunca perder o tino pelos entraves que lhe foram impostos no decorrer da própria época, Marco Silva conseguiu:

- No campeonato ficou no 3º lugar, atrás de um FC Porto de milhões e de um Benfica ao colinho. Conseguiu um registo interessante de 76 pontos.

- Na Taça de Portugal fomos os vencedores, em que pelo meio eliminamos o FC Porto em pleno Dragão por 1-3. Vencemos finalmente um troféu 7 anos depois.

- Na Taça da Liga Marco Silva foi obrigado a meter jogadores da equipa B, pelo que é injusto responsabiliza-lo pela eliminação na fase de grupos.

- Na Liga dos Campeões, num grupo com Chelsea e Schalke04, não passamos a fase de grupos devido... aquela bola que bateu na cara de Jonathan Silva.

 

Marco Silva só não mereceu continuar a cumprir os restantes 3 anos de contrato, porque infelizmente, não vestiu o fato...

 

Com um Jorge Jesus logo ali ao lado a ser despachado para o Qatar pelo próprio Benfica, Bruno de Carvalho não perdeu tempo, e fez o que tinha a fazer para salvar, para já, o seu mandato (e o consequente tacho).

                                                                

Saiu Nani e Cédric, e os restantes jogadores do núcleo duro mantiveram-se. Muitos dos jovens que iniciaram com Leonardo Jardim eram jogadores bem mais maduros. Para complementar com essa juventude, contrataram-se jogadores internacionais, caros, e de elevado custo salarial, como: Coates, João Pereira, Aquilani, Bruno César, Teo, ou Bryan Ruiz.

 

No tempo de Marco Silva:

- Se não houvesse Paulo Oliveira, havia Sarr ou Mauricio

- Se não houvesse Cédric, havia Esgaio

- Se não houvesse Jefferson, havia Jonathan Silva

- Se não houvesse William, havia Rossel

- Se não houvesse Nani, havia Capel

- Se não houvesse Adrien, havia André Martins

 

Actualmente temos no banco jogadores como Paulo Oliveira, João Pereira, Jefferson, Aquilani, Naldo, ou Ewerton.

 

E o que conseguiu Jorge Jesus?

- No campeonato ficamos em 2º lugar, embora tenhamos feito um dos melhores campeonatos de sempre com 86 pontos.

- Na Taça de Portugal eliminamos o Benfica e não tivemos sorte em Braga.

- Na Taça da Liga pôde gerir livremente a equipa, e fomos eliminados na fase de grupos contra um Portimonense da II Liga.

- Na Liga Europa também pôde gerir a equipa a seu belo prazer fazendo uma rotatividade que nos ia custando a eliminação na fase de grupos com equipas como Lokomotiv, Besiktas, e Skenderbeu. Contra o Leverkusen fez exactamente o mesmo e fomos eliminados nos 16 avos de final. Ainda na fase de grupos, contra o Skenderbeu da Albânia, perdemos por 3-0, dando assim a primeira vitória de uma equipa albanesa nas competições europeias.

 

Portanto, com as condições que foram dadas a Jorge Jesus, o facto do Sporting ter ultrapassado a barreira dos 80 pontos não é nada de extraordinário, tendo em conta que na época anterior a equipa de Marco Silva tinha feito 76 pontos.

 

Será que se Marco Silva tivesse dado continuidade às suas rotinas de jogo, não teríamos feito uma época semelhante ou até melhor?

Pois, não é possível saber isso...

 

E não estou a afirmar que Jorge Jesus não fez um bom trabalho. É sabido que os seus métodos são diferentes dos métodos de Leonardo Jardim e Marco Silva - a começar pelo esquema táctico que passou do 4-3-3 para o 4-4-2. Ele cortou com muita coisa do passado, e era sabido que assim iria ser.

 

Se ele continuar na próxima época, a equipa poderá ser tão ou mais forte que a equipa desta temporada, pois já não será um ano "zero" de Jorge Jesus.

 

Escrevo este artigo para demonstrar que Marco Silva, na minha opinião, fez um trabalho interessante, dentro das circunstâncias e dos "ovos" que teve à sua disposição.

Isso não faz de mim um anti-Jorge Jesus. Embora tenha dúvidas se valeu apena trocar Marco Silva por Jorge Jesus, até ao momento, estou relativamente satisfeito com o trabalho de Jorge Jesus, e creio que para o ano a equipa será ainda mais forte.

 

Agora, não podemos é ser injustos, e não dar mérito a quem merece. Principalmente quando Marco Silva foi tratado de uma maneira vil pelo actual presidente.

Vivemos uma fase da nossa história em que uns são rebaixados para outros serem endeusados. Eu como sportinguista, se há coisa que eu não tolero, é que se reescreva a história.

 

 

PS: Deixo aqui uma curiosidade que encontrei no facebook. Quando a equipa de Marco Silva já estava mais rotinada e habituada a jogar com centrais ao nível de Paulo Oliveira, Sarr e Tobias Figueiredo, o Sporting somou 40 pontos na 2º volta; enquanto que a equipa de Jorge Jesus, com o dobro do orçamento, somou 42 pontos.

 

PS 2: Enquanto Marco Silva foi treinador do Sporting, foi um profissional que respeitou o Sporting e os seus colegas de profissão. Ao contrário do actual presidente, que se for preciso expõe a nossa história ao ridículo. E ao contrário do actual treinador, que nos expôs ao ridículo disto, e acabou por perder o campeonato para uma equipa que "não tem treinador", sem vencer um único título, e fazendo uma figura ridícula na Europa.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Confesso que não estava à espera desta renovação.

Num dos meus últimos artigos, apesar das observações negativas acerca da gestão desportiva desta temporada, salientei que seria de enaltecer, caso Jorge Jesus quisesse permanecer em Alvalade. Assim, enalteço o facto de Jorge Jesus demonstrar querer fazer história no Sporting, tal como fez no Benfica.

Seria fácil Jorge Jesus aceitar um qualquer convite, pois não lhe faltariam argumentos para explicar porque não teria condições para continuar em Alvalade (tal como expliquei no artigo).

 

No entanto, Jorge Jesus renovou contrato, porque tem as garantias que terá ainda mais poderes, e que muitos dos erros que foram cometidos esta temporada não se irão repetir.

 

Apesar de Bruno de Carvalho ter afirmado que o Sporting está de saúde financeira, a verdade, é que a realidade choca de frente com o discurso.

Em Janeiro, Montero (que nos deu 8 pontos saindo do banco) foi vendido por 7 milhões, e não tinhamos dinheiro para pagar à Doyen. Isto, numa época em que se falhou o apuramento para a champions, se andou a desperdiçar pontos e dinheiro na Liga Europa com os "Skenderbeus", e que se aumentaram os custos salariais para o dobro.

Actualmente, os prémios da Liga dos Campeões estão penhorados por causa da doyen.

sem nome.png

 

E uma das condições para Jorge Jesus renovar, é que jogadores como Slimani ou João Mário só saem pela cláusula de rescisão.

 

Não sei até que ponto não se estará a preparar mais um "tudo ou nada", tal como se fez esta temporada, ao abdicar da Liga Europa e da Taça da Liga, só para manter os jogadores frescos para o campeonato.

Não me parece que um projecto a médio\longo prazo tenha garantias de sucesso, ao terem sempre o discurso de que "o campeonato é que é a prioridade".

Para já, porque há a possibilidade de não vencer o título. Nessas circunstâncias, uma boa prova europeia, serve para valorizar jogadores, a equipa e o clube. Não vencer pelo menos uma Taça da Liga sabe sempre a pouco, independentemente do futebol praticado nas últimas jornadas do campeonato.

 

Assim, parece-me que mais uma vez, teremos um "tudo ou nada". Por um lado, Jorge Jesus quer sair do Sporting como campeão; e do outro, Bruno de Carvalho precisa de resultados imediatos, pois as eleições estão cada vez mais próximas.

 

Dai não nos podermos surpreender com a alegada "saúde financeira", pois provavelmente, se algum jogador sair, será apenas pela cláusula, independentemente do dinheiro poder fazer falta no imediato.

Como sempre se tem feito, os problemas vão sendo empurrados com a barriga.

 

A própria contratação do Jorge Jesus foi uma fuga para a frente, como devem estar recordados. A maioria dos adeptos estava com Marco Silva, e Bruno de Carvalho teve a sorte de Luís Filipe Vieira não querer renovar com Jorge Jesus. A continuidade de Bruno de Carvalho estava assim assegurada por mais uns tempos.

 

Jorge Jesus não tem dificuldade em arranjar um clube para treinar.

 

E Bruno de Carvalho? Terá facilidade em conseguir vida fora do Sporting? Será do acaso que ele tem uma comunicação muito virada para o que os adeptos pensam?

Se dúvidas houvessem, elas ficaram dissipadas na histórica Assembleia-Geral de 27 de Setembro de 2015, quando este afirmou:

 

"Agora, não me deixem cair... Porque eu caio de facto! Porque aquilo que o vosso presidente fez, foi destruir por completo, qualquer possibilidade de trabalho em Portugal. E por causa do Sporting. E por defender o Sporting. E por lutar pelo Sporting... E o presidente do Sporting, é pai, tem duas filhas... tem que sustentar a sua família... E aquilo que eu fiz foi pôr o Sporting em primeiro lugar..."

 

Bruno de Carvalho está nas mãos de Jorge Jesus. Jorge Jesus está preocupado em pôr a equipa a funcionar, mas não estará preocupado com a gestão do clube a nível financeiro, patrimonial, etc.

Essa preocupação deverá estar em Bruno de Carvalho. Mas, o actual presidente-candidato, estará certamente mais preocupado em manter os 10.000€ mensais. Os problemas... bem, como sempre, empurram-se com a barriga. Tal como se fez com a Doyen, com o Marco Silva, com as VMOCS, com a Somague, entre outras polémicas e processos em tribunal.

 

Independentemente do treinador ser o Jesus, o Guardiola ou o Mourinho, espero que haja a coragem de surgir um candidato que possa desmascarar cara a cara os verdadeiros intentos de Bruno de Carvalho.

 

Pois se Jorge Jesus tem o clube na mão, ao menos que tenhamos na presidência quem tenha currículo, e que nos saiba representar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Da mesma série: "eu quero lá saber se o fundo russo é lavagem de dinheiro!"

 

13263901_1051252548273395_686850279190843093_n.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

naom_56e51e17bbfac.jpg

O Sporting fez um excelente campeonato. Nas restantes competições não fez nada de extraordinário, mas no campeonato foi efectivamente muito bom. Conseguimos a melhor pontuação da história do clube (pelo menos nos campeonatos com 34 Jornadas e a 3 pontos), mas, insuficiente para conseguir o 1º lugar. Um campeonato que basicamente se decidiu nos detalhes.

 

Detalhes como o falhanço do Bryan Ruiz na derrota contra o Benfica por 0-1. Bastava que essa bola tivesse entrado e o campeonato era nosso.

Mas isso são circunstancias do próprio jogo. Pode acontecer.

 

Mas fundamentalmente, este campeonato escapou devido a uma estrutura amadora e que vive do populismo para o populismo - a velha máxima do "não me deixem cair!".

 

Pois uma estrutura forte, ao longo dos tempos, por exemplo:

- Não diria que os adversários têm que começar a dar mais luta.

- Não diria que os adversários tremem todos os dias.

- Não diria para os adversários olharem bem para nós, pois já não sairíamos do 1º lugar.

- Não perderia jogadores para os rivais como Danilo e Mitroglou (entre outros).

- Não teria a cobardia de não olhar nos olhos perante quem critica no facebook, faltando a reuniões da Liga e da FPF.

- Não se metia em picardias com directores de comunicação do Benfica.

- Não deixaria que o treinador proferisse frases que picaram os nossos rivais como o "não considero Rui Vitória treinador", conhecendo a sua personalidade.

- Não tirava André Carrillo a Jorge Jesus, só porque não conseguiu chegar a um entendimento com o jogador e empresário.

- Não vendia e trocava o Montero por um Barcos vindo da China e em má forma física, quando supostamente há duas "almofadas financeiras" para acautelar os prejuízos do caso Doyen.

- Não teria um presidente que se senta no banco de suplentes, mas que nas derrotas, amua e "foge" imediatamente para o balneário, deixando o treinador a dar cara perante os adeptos - como fez na derrota em Alvalade contra o Benfica.

- Não teria um presidente que se dá ao ridículo de ser expulso do banco mais do que uma vez ao longo do campeonato.

 

 

Muitos dirão que haverá uma continuidade e que este é que é o caminho. Mas, na verdade, será que tão cedo teremos tão flagrante oportunidade?

Um clube que não ganha o título há 14 anos não se pode dar ao luxo de brincar com o fogo. Efectivamente, brincou-se com o fogo, e previsivelmente, foi o Sporting quem saiu humilhado.

 

Fomos nós quem demos força ao Benfica, quando os benfiquistas ainda estavam muito divididos acerca de Rui Vitória.

 

E como já tinha escrito aqui no blog, foi uma irresponsabilidade encostar Carrillo e vender Montero. Perdemos 14 pontos com as suas ausências, quando terminamos o campeonato a 2 pontos do título.

Quando se contrata um suposto Ferrari (Jorge Jesus), não se lhe tira gasolina a meio do percurso...

 

Jorge Jesus tem defeitos, (está ligado à união que os benfiquistas prestaram em torno de Rui Vitória e jogadores) mas ainda o desculpo, pois não é o máximo representante do clube. E se ele quiser continuar num clube com uma estrutura de pés-de-barro, será de enaltecer. E se querer sair para o FC Porto ou para o estrangeiro, quem o poderá condenar enquanto profissional?

 

O melhor para o Sporting seria Jorge Jesus continuar, e finalmente, termos um treinador a dar continuidade às suas ideias de jogo.

 

Mas se ele quiser permanecer em Alvalade várias épocas, espero que surja um candidato que dê garantias de credibilidade, e seja um verdadeiro suporte para com Jorge Jesus.

 

 

PS: Quando Jorge Jesus afirmou que já tinha pago os seus 3 anos de salário com a presença na próxima edição da champions, quem sabe, se não terá sido um sinal que nos deixou a todos nós. Pois como disse aqui no blog, ele não tinha o direito de proferir aquelas declarações.

E já no passado Domingo em Braga, vou a repetir que tem "mais 2 anos de contrato", mas não o dizendo de uma forma firme e convicta.

É o Sporting e Jorge Jesus quem estão a alimentar estas dúvidas...

Pessoalmente creio que ele está a ponderar todas as hipóteses - e muito se deve ao que eu escrevi neste artigo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

fotojornalismo_15.jpg

Estive a rever na TV a deprimente recepção dos putos à equipa, e vi o presidente a ser abraçado por eles e com vénias de "Bruno, Bruno!..."

Fez-me lembrar esta imagem.

E o tempo é mestre.
Aliás, tem sido mestre. Muitos é que teimam em enxergar todas as mentiras, contradições e faltas de respeito!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D